Quinta, 27/01/2022
Joinville - SC

Vítima de explosão de Botijão de gás permanece internado na UTI do Hospital São José

novembro 12, 2021
Vítima de explosão de Botijão de gás permanece internado na UTI do Hospital São José
Compartilhar
Ouvir publicação

Permanece internado em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), do Hospital Municipal São José, o homem de 32 anos que se feriu durante o manuseio de um botijão de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP). No momento da explosão, ele estava transferindo Gás Natural Veicular (GNV) para o botijão de cozinha.

O boletim foi divulgado pela assessoria de imprensa da prefeitura na tarde deste domingo (14).Equipes dos bombeiros Voluntários e do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), foram acionados por volta do meio dia para atender a ocorrência que foi registrada na rua Antonio de Oliveira, no loteamento Jardim Edilene, bairro Paranaguamirim.

No processo de transferência houve um possível vazamento do gás e o botijão explodiu dentro da garagem. Após a explosão, o botijão partiu ao meio. Uma parte atingiu a rede elétrica, e os moradores da região ficaram sem o serviço. A outra metade atravessou o muro da residência.

O homem ficou preso embaixo do carro e teve ferimentos graves na região do abdômen. Além da vítima, no momento da explosão estavam na residência a sua esposa e seus dois filhos, que não ficaram feridos.

Entenda como se diferenciam

Forma e componentes

O gás natural veicular, popularmente conhecido como GNV, é oferecido em forma gasosa. É constituído por hidrocarbonetos, a exemplo de metano e etano. Essa é uma das principais diferenças entre o GNV e GLP.

O gás liquefeito de petróleo (GLP),“gás de cozinha”, é encontrado no formato líquido. Sua composição conta com a união de gases, sendo os principais o butano e propano.

Pressão

GNV e GLP contêm pressões diferentes. O GNV desempenha pressão de 220bar, ao passo que o GLP alcança apenas 8bar. A pressão máxima para abastecer com GNV é de 220kgf/cm² a fim de não causar danos.

Forma de armazenamento

O armazenamento do GLP é feito em diversos cilindros pela distribuidora, os mais conhecidos são os botijões de gás. A capacidade desses gira em torno de 85% de GLP em estado liquefeito e 15% em estado de vapor. Na medida em que o cilindro é esvaziado, o gás liquefeito vaporiza. Já o GNV é armazenado em um cilindro que antes é levado a um processo denominado “têmpera”. Esse tem o objetivo de aumentar sua resistência.

Siga-nos no nosso Instagram para receber notícias da região direto no seu celular. Para participar, basta CLICAR AQUI 

Block