Sexta, 01/07/2022
Joinville - SC

Viga removida na obra do Rio Mathias teria contribuído para queda da calçada

fevereiro 9, 2022
Viga removida na obra do Rio Mathias teria contribuído para queda da calçada
Compartilhar
Ouvir publicação

A queda da calçada durante o evento Natal Cultural, em 22 de novembro de 2021, segue repercutindo na CVJ. Os vereadores membros da comissão especial criada para analisar as irregularidades e responsabilidades no evento ouviram o secretário de Infraestrutura, Jorge Luiz Correia de Sá, e engenheiros da secretaria.

Clique aqui e participe do grupo

de Whatsapp Aconteceu em Joinville

As obras de macrodrenagem do rio Mathias voltaram à tona durante o debate. O relator da comissão, o vereador Alisson Julio (Novo), pediu informações sobre as investigações internas da Seinfra. Conforme o secretário, a retirada de uma viga datada de 1971, durante as obras de macrodrenagem do Rio Mathias, resultou uma alteração estrutural que comprometeu a estabilidade da calçada.

Sem a viga, a estrutura deixou de ser sustentada de forma biapoiada (quando há dois pontos de apoio) para ser uma estrutura em balanço (sustentada em um único ponto), e acabou cedendo com o peso do público no evento natalino.

Mas a retirada da viga não era de conhecimento do poder público, conforme Jorge Sá, que afirmou também que a informação não consta no diário de obras do rio Mathias (diário ou caderno de obras é o documento que registra a evolução de uma determinada construção).

Siga-nos no nosso Instagram para receber notícias da região direto no seu celular. Para participar, basta CLICAR AQUI 

Foi com base nas informações anteriores à retirada da viga que o engenheiro Emerson Luiz Pagani calculou a obra de cobertura de áreas abertas do rio Mathias na região dos arredores.

“Lá atrás já havia sido pedida a apuração de responsabilidade do consórcio (executor das obras do Rio Mathias) por fraude em laudos dessa obra e nós fomos surpreendidos que o CREA arquivou o processo”, disse o coordenador da Unidade de Drenagem da Seinfra Fábio de Oliveira.

Em razão das informações, o vereador Lucas Souza (PDT) entende que a comissão deve voltar seu foco para analisar as obras de macrodrenagem do rio Mathias e pediu que a empreiteira Motta Júnior seja convocada.

Comentando o caso, o vereador Claudio Aragão disse que “ali existia realmente um buraco aberto. Não tinha outra situação, não tinha outra coisa; um buraco pequeno. E alguém com interesse de querer dar uma maquiagem naquela situação foi lá e fechou, ponto”.

Aragão afirmou que as placas de concreto, somadas à população aglomerada no momento da queda, teriam até 30 toneladas, citando como fonte engenheiros da Seinfra.

A reunião foi presidida pelo vereador Wilian Tonezi (Patriota) e também contou com a presença do vereador Kiko do Restaurante (PSD).

Próximas reuniões
A comissão especial já tem atividades previstas para as próximas semanas. Na próxima terça-feira (15), os vereadores irão ao local do acidente na presença de técnicos e representantes da Seinfra e do Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville.

Na terça-feira seguinte, dia 22, às 9h, os vereadores ouvirão o engenheiro Emerson Luiz Pagani, a engenheira Elisângela Bresciani, representantes do consórcio Motta Júnior e da Procuradoria-geral do Município.

Durante a realização desses encontros, a comissão vai aguardar o recebimento do laudo do IGP, bem como a documentação oficial da Prefeitura sobre as galerias e pontes, de alvenaria ou de madeira, da cidade, estimadas em mais de 500.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Block