Terça, 28/06/2022
Joinville - SC

VÍDEO : Vereador flagrado apalpando mulher em evento é indiciado por importunação sexual

maio 16, 2022
VÍDEO : Vereador flagrado apalpando mulher em evento é indiciado por importunação sexual
Compartilhar
Ouvir publicação

O vereador Senor Anselmini (PP) da cidade de Caibi, no Extremo-Oeste de Santa Catarina, foi indiciado por importunação sexual em evento público, intitulado “Doce Natal”, ocorrido no mês de dezembro de 2021 no município. O fato chegou ao conhecimento da Policia Civil após queixa de uma mulher que teria sido vítima no caso.

 

“Tanto a filmagem quanto o relato de testemunhas confirmaram que o vereador teria apalpado a vítima após a entrega de uma premiação para ela”, confirmou o delegado. O crime de importunação sexual tem pena de até 5 anos de prisão.

Entenda o caso

Após recebida uma denúncia anônima, a Câmara de Vereadores de Caibi convocou a suposta vítima, Luciane Glembotzki, para prestar esclarecimentos sobre a denúncia. Foi montada assim, uma Comissão para instauração da sindicância, formada pelas vereadoras Edimara Conte Portes (PP), Viviane Vockes (PP), e a suplente Dominga Demarchi Rizzi (MDB), que na época substituía o vereador licenciado Julio Urqueta (MDB).

Ouvida a suposta vítima, de forma sigilosa, a Comissão entendeu que houve indícios de importunação sexual praticado pelo investigado, onde o mesmo teria, durante o ato de entrega de uma “lembrança” ao casal Luciane e Tiago, patrocinadores do Doce Natal de Caibi”, colocado as mãos nas nádegas da vítima (consta vídeo do momento em anexo aos autos), dando assim prosseguimento ao feito, devendo ser apurado pela Comissão Especial de Investigação.

Então foram nomeados para a Comissão Especial de Investigação, o Presidente Diogo Valdemeri, Secretário Raimundo Ambrosio e Membro Neocir Parizotti, e a suposta vítima retornou a Câmara de Vereadores para ser ouvida pelos demais representantes do Poder Legislativo caibiense,.

Na sequência, acusação e defesa apresentaram suas defesas prévias e suas respectivas provas testemunhais, quando o acusado, Vereador Senor Anselmini, também prestou depoimento.

Por 3 votos a 0, a Comissão Especial de Investigação entendeu por comprovado o ato de importunação sexual praticado pelo investigado e, conforme provas juntadas aos autos, recomendou o afastamento do vereador pelo prazo de: Pena Mínima de 10 meses; Pena Média de 12 meses; e Pena Máxima de 15 meses, o qual foi apreciado pelo Plenário da Casa por 9 votos a 0.
Por fim, fora realizado a votação, onde o mesmo foi suspenso pelo período de 12 meses.

 

Block