Sexta, 28/01/2022
Joinville - SC

Vereadores relatam o que encontraram em visita ao Hospital Regional

outubro 27, 2021
Vereadores relatam o que encontraram em visita ao Hospital Regional
Compartilhar
Ouvir publicação

Vereadores estiveram na manhã desta quarta-feira (27) no Hospital Regional Hans Dieter Schmidt para averiguar as denúncias sobre o mofo em instalações da unidade de saúde do governo estadual e saber quais ações estão sendo tomadas para resolver os problemas.

 

Foto: Mauro Artur Schlieck

De acordo com os parlamentares, os reparos de limpeza e pintura já estão em andamento, ainda que sejam paliativos. Para resolver de vez o problema a unidade já conta com um projeto executivo de reforma da unidade de cardiologia, onde o problema do mofo foi localizado.

Porém, o projeto executivo de reforma, que já existe há três anos, depende de liberação do dinheiro estadual. Conforme o vereador Brandel Junior (Podemos), que acompanha o caso desde as primeiras denúncias, a liberação do dinheiro para reforma ainda depende de avaliação do projeto pelo Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville (CBVJ).

Cassiano Ucker (Cidadania) acrescentou que a direção do hospital informou na visita de hoje que o projeto precisou passar por alterações pedidas por órgãos fiscalizadores como a Vigilância Sanitária e o próprio CBVJ. Com as adequações será possível promover a licitação da obra. Outra informação trazida por Cassiano é que os reparos emergenciais contra o mofo estão sendo realizados com recursos que universidades anteciparam para o hospital.

Ainda sobre os reparos emergenciais, o vereador Brandel realçou que o cartão corporativo (mecanismo para gastos que não dependem de licitação) do Hospital Regional é de R$ 800, o que limitaria muito a realização de reparos como a limpeza do mofo no teto dos quartos.

Wilian Tonezi (Patriota), que propôs a ida da comissão ao hospital, destacou que o governo estadual tem R$ 5 bilhões disponíveis para obras, mas que precisam de projetos executivos para serem usados. O vereador também destacou que é necessária a poda de árvores que dificultam a circulação de ar pela ala afetada pelo mofo.

Assim como Tonezi, o vereador Adilson Girardi (MDB) também observou que o hospital já passou recentemente por uma reforma da UTI e também sinalizou que uma possível nova bandeira dos vereadores seja a implantação de um novo hospital regional estadual. Essa é uma visão consensual entre os vereadores. A necessidade se dá pela superlotação do Hans Dieter, que tem 165% dos leitos de pronto-socorro ocupados.

Girardi, com a coassinatura do vereador Claudio Aragão (MDB), é o proponente de uma moção direcionada ao governo estadual para que promova a manutenção do Hans Dieter contra o mofo. Confira o texto da moção 526/2021, que ainda aguarda votação em Plenário:

A Câmara de Vereadores de Joinville, aprovando Moção do Vereador Adilson Girardi (MDB), APELA ao Governador do Estado de Santa Catarina, Sr. Carlos Moisés da Silva, e ao Secretário Estadual de Saúde, Sr. André Motta Ribeiro, para que, com urgência, seja feita a manutenção, reforma e higienização dos quartos localizados no setor de cardiologia do Hospital Regional Hans Dieter Schmidt, a qual encontra-se tomada pelo mofo.

As denúncias sobre o caso começaram no dia 15, quando familiares de um paciente denunciaram a má conservação da unidade e a presença de fungos no teto e nas paredes de quartos e banheiros do setor de cardiologia. A situação revoltou vereadores que se manifestaram na primeira sessão após o surgimento das denúncias.

Mais tarde, logo após a sessão ordinária, a Comissão de Finanças aprovou diligência à Assembleia Legislativa de Santa Catarina para sensibilizar os deputados estaduais para que incluam cerca de R$ 9 milhões no orçamento estadual para as obras no hospital. Ainda não foi marcada a data da diligência.  O presidente da Comissão de Saúde, Kiko do Restaurante (PSD) também acompanhou a visita. Jornalismo CVJ

 

Siga-nos no nosso Instagram para receber notícias da região direto no seu celular. Para participar, basta CLICAR AQUI 

Block