Terça, 28/06/2022
Joinville - SC

Vereadora de Santa Catarina é presa suspeita da morte de idoso por dívida de aluguel

fevereiro 5, 2022
Vereadora de Santa Catarina é presa suspeita da morte de idoso por dívida de aluguel
Compartilhar
Ouvir publicação

No início da tarde desta sexta-feira (04), um homem de 63 anos foi morto a tiros em sua residência no interior de Tigrinhos, Oeste de Santa Catarina. A Polícia Civil tão logo foi comunicada do crime, iniciou as investigações e a coleta de elementos de prova, fazendo análise do local do crime, da vítima e ouvindo testemunhas que presenciaram o caso.

Clique aqui e participe do grupo

de Whatsapp Aconteceu em Joinville

Algumas horas após, em articulação com a Polícia Militar da região, dois dos autores foram encontrados há vários quilômetros longe do local do crime. O casal – uma mulher de 35 anos e um homem de 25 anos – foi conduzido à Delegacia da Polícia Civil.

O homem preso é natural de Romelândia e trabalha como agricultor. Já a mulher, segundo a Polícia Civil, é vereadora em município da região e é natural de Campo Erê. A identidade dos suspeitos não foi divulgada pela polícia.

Entenda o caso

Conforme apurado, a mulher era locatária da área rural a um casal de idosos e estava agindo com o intuito de expulsá-los do imóvel, aparentemente por divergências no pagamento do aluguel.

Após ter tentado remover o casal da casa por diversas vezes, ela compareceu nesta sexta (04) ao local acompanhada de dois homens, um deles identificado como seu namorado. Após breve discussão com o idoso, o homem sacou um revólver (aparentemente calibre .357 Mag) e realizou diversos disparos, sendo que pelo menos três atingiram a vítima (um na perna direita, um no abdome e um no rosto, que transfixou a cabeça).

Ao final do auto de prisão em flagrante, o delegado de polícia representou pela decretação da prisão temporária de ambos, a fim de dar continuidade às investigações policiais e finalizar o inquérito no prazo de trinta dias. Os dois suspeitos foram encaminhados ao complexo penitenciário de Chapecó, onde aguardarão decisão judicial.  canalideal.com.br/

Block