Sabado, 13/08/2022
Joinville - SC

PSICOLOGIA DO ESPORTE: diferença entre vencedor e derrotado… by Carlos Alberto Hang

julho 10, 2022
PSICOLOGIA DO ESPORTE: diferença entre vencedor e derrotado… by Carlos Alberto Hang
Compartilhar
Ouvir publicação

Quando os atletas chegam em grandes competições, como nas Olimpíadas e no UFC, possuem potencial competitivo de altíssimo nível técnico, sendo assim, a diferença de se estar mais diante da VITÓRIA do que da DERROTA, se dá por conta o preparo emocional do competidor.

Na clínica, atendi muitos atletas que relatavam não compreender que, mesmo com tanto talento, preparo físico e técnica incorporada, durante as competições cometiam erros bárbaros e tinham um rendimento muito aquém até do nível de resultados que apresentavam diariamente nos treinos.

Aqui ilustro com a história de um grande lutador que me relatou que, mesmo muito bem preparado para vencer a competição, sentiu-se inseguro pela final ter sido num país que nunca esteve, e com competidores estrangeiros, o que o fez não ter rendimento esperado, e vir a ser desclassificado. Seja pelo espaço físico desconhecido, seja por ter afirmado se sentir inferior aos estrangeiros simplesmente por eles serem estrangeiros, tudo o mais o fez não desempenhar o papel natural que costuma promover. O interessante é ele ter afirmado que, se naquele momento estivesse sendo acompanhado por um psicólogo do esporte, ele poderia ter registrado o nome dele como vencedor deste importante campeonato em que participou, pois depois de ter analisado as lutas, tinha certeza que era superior tecnicamente aos demais.

Isso acontece muito claramente em todos os esportes, onde vemos atletas muito bem preparados tecnicamente e fisicamente, mas a questão mental os faz tem rendimento muito inferior os que poderiam apresentar na competição.

Uma das principais atribuições do psicólogo do esporte é justamente ensinar como os atletas devem lidar com a pressão externa e interna nas competições e treinos, e este trabalho é impossível de ser feito de uma hora para outra, pois exige tempo e um vínculo forte dos atletas e corpo técnico com o psicólogo em atuação, o qual deverá trabalhar tanto no contexto coletivo, quando no individual de cada elemento partícipe.

Um time ou atleta pode investir em melhores técnicos, academias, médico e afins, mas se não possui um excelente psicólogo esportivo na equipe, as chances de ver todo seu investimento se perder são imensas, principalmente por não se saber lidar com cargas de alto estresse, ansiedade, preocupação competitiva, baixa motivação, receio da concorrência, público presente antagônico, performance melhor do concorrente, e etc.

Bem como poderá até se chegar na vitória sem um psicólogo de apoio, mas a carreira do atleta e o do time poderia ir muito mais longe do alcançado, caso tivesse ao sei lado um profissional da psicologia, muito bem articulado e tecnicamente preparado, tralhando com e por ele.

(conteúdo trabalhado em minha palestra ESPORTE & PSICOLOGIA: um casamento perfeito e necessário)

Quem é o autor deste artigo: Carlos Alberto Hang, Psicólogo, Doutor e Mestre, Jornalista (SC03991); especialista/pós-graduado em psicologia do esporte, hipnose clínica, sexologia, dependência química, MBA em Liderança e Coaching, psicopedagogia, psicanálise, terapia cognitivo comportamental, educação infantil, e Ciências da Religião, com graduação também em Teologia, Filosofia, História, Letras e formação em hipnose transformacional; International Master Premium em Hipnose; Master PNL Practitioner (NLPEA Association of Excellence/USA); e escritor. Embaixador pela Cercle Universel des Ambassadeurs de la Paix (Genebra/Suíça), é Cônsul de Joinville – Instituto Internacional Poetas del Mundo, detentor do Oscar Brasileiro by Grupo Jornalístico Ronaldo Côrtes de São Paulo, e membro honorário imortal da Academia de Ciências, Letras e Artes de MG na cadeira 148. INSTAGRAM: @carlosalbertohang TWITTER: @hangjornalista FACEBOOK: @opiniaodeumlivrepensadorbyHANG

Block