Últimas notícias
Home » Segurança » Torcedor é condenado a 10 anos de prisão por envolvimento em briga na Arena
    
Torcedor do Vasco é flagrado com porrete momentos antes de acertar a cabeça do torcedor do Atlético-PR Giuliano Gomes e Heuler Andrey

Torcedor é condenado a 10 anos de prisão por envolvimento em briga na Arena

O vascaíno Leone Mendes da Silva, membro de uma torcida organizada do time carioca, que agrediu torcedores do Atlético Paranaense no último jogo válido pelo campeonato Brasileiro de 2013, foi condenado nesta quinta-feira, (06), à 10 anos de reclusão. O Réu foi sentenciado por tentativa de homicídio duplamente qualificado – motivo fútil, pois agiu por conta de divergências futebolísticas e recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Ele não foi preso depois do júri e vai poder recorrer em liberdade.




O advogado do torcedor disse que vai recorrer da decisão para pedir a anulação do júri porque o Ministério Público de Santa Catarina (MPSC) apresentou provas que não eram de conhecimento da defesa. Três torcedores do Vasco foram inicialmente denunciados, mas o processo foi dividido porque o MPSC apontou envolvimentos diferentes para cada acusado. O segundo réu recorreu ao TJSC e o terceiro terá audiência de instrução no dia 12 de dezembro.

A partida entre o Atlético Paranaense e Vasco da Gama foi realizado na Arena Joinville porque o estádio do Atlético estava em obras para a Copa do Mundo de 2014.  Após a briga generalizada, três torcedores do Vasco foram presos em flagrante por tentativa de homicídio. Em março de 2014, Leone e outro torcedor foram soltos por decisão judicial.

Vitimas

Estevão Viana, de 24 anos, William Batista, de 19 anos, e Gabriel Ferreira Vitael, de 20 anos, são os três torcedores que ficaram internados no Hospital Municipal São José. Diogo Cordeiro da Costa Ferreira, de 29 anos, também chegou a ser levado para o Hospital São José, mas, como não sofreu nada grave, foi liberado pelos médicos.

A briga entre os torcedores dos dois times começou aos 17 minutos do primeiro tempo e demorou para ser contida, porque não havia polícia dentro do estádio. A PM estava atuando apenas fora da Arena Joinville. Internamente, havia segurança particular, contratada pelo mandante Atlético-PR para o jogo.

Facebook Comments

About Redação

Redação
É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do editor da revista. O portal de notícias Aconteceu em Joinville tem o compromisso de levar a informação a população joinvilense através de noticias da nossa região com agilidade e fidelidade aos fatos.
error: Todos os direitos reservados - Aconteceu em Joinville