Quinta, 23/09/2021
Joinville - SC
Compartilhar
Ouvir publicação

“Crucifica-O, crucifica-O !!!”. Até quando estaremos afirmando a Pôncio Pilatos que preferimos Barrabás no lugar de Jesus, O Ungido? Acham vós outros que não temos mandado crucificar Jesus diariamente? Toda vez que nós desviamos nossos caminhos do reto proceder, toda vez que nos entregamos aos instintos mais primitivos do ser humano, cada vez que tiramos vantagens sobre o próximo, toda vez que deixamos de lado o motivo pelo qual encarnamos neste planeta ser menos importante que os prazeres do ego, cada vez que nos comportamos como juízes e saímos com nossa toga e martelo dando sentenças aos outros e os condenando, toda vez que aceitamos e perdoamos aos demais mas com ressalvas, toda vez que deixamos de estender a mão ao próximo em situação difícil para ele, toda vez que mentimos e que traímos aos nossos amigos e nossos seres amados, etc. e tal, é desta maneira que estamos reforçando os pregos nas mãos de Jesus na cruz.

A QUEM QUEREIS QUE EU VOS SOLTE, A BARRABÁS OU A JESUS, CHAMADO CRISTO?

 

“King of the kings”

 

 

Mas isso foi assim desde o início dos tempos, e muito pouco mudamos até então, assim como lemos em Eclesiastes Nihil novi sub sole” (latim: nada de novo debaixo do sol). Pouco mudamos em tanto tempo passado. Os que clamaram por Jesus durante sua majestosa entrada em Jerusalém, bem como aqueles que foram curados e O seguiam, onde estavam quando o povo gritava: “Crucifica-o” e “É réu de morte”? Muitos esqueceram o bem que lhes havia feito, e é assim que somos nós muitas das vezes: recebemos bênçãos sem fim, mas mergulhamos em desespero diante dos percalços da vida, em que nós mesmos colocamos em nossos caminhos através de uma semeadura de atos insatisfatórios de outrora, cuspimos na cruz.

No texto de meu amado pensador libanês, Gibran Khalil Gibran, a respeito de Barrabás, lemos como o “traidor” pode ter se sentido quando diz: “Sei agora que aqueles que O mataram em meu lugar provocaram meu tormento interminável. Sua crucificação não durou mais do que uma hora. Mas eu serei crucificado até o fim de meus anos”.

 

Por isso, alertemo-nos diante das injustiças que cometemos com nossos próximos em nossa caminhada neste Planeta, pois os injustiçados por nós serão justificados, mas nós seremos aqueles que carregarão o fardo do arrependimento e da vacuidade em nossas almas.

 

Mesmo os Levitas Modernos, que honram o Senhor com os lábios e dedicam seus dias a pregação e a conversão dos outros, estão diariamente pregando Jesus na Cruz ao não toleram outras religiões e pensamentos contrários às suas crenças, portando-se como “Donos da Verdade Absoluta”.

 

Que sejamos então como samaritanos em vez de levitas, desde que nossos procederes sejam de tirar Jesus da Cruz e colocá-lo em nosso viver diário. Cada um de nós deve olhar para si mesmo e trabalhar em sua própria transformação, tornando-se um ser melhor e melhor a cada dia.

 

Então agora você decide: olhe para o rosto de Jesus e responda a si mesmo analisando suas decisões diárias a quem está escolhendo: “Jesus ou Barrabás”.

“Quem tem olhos de ver, veja!”

Block