Segunda, 16/05/2022
Joinville - SC

PSICOLOGIA DO ESPORTE no esporte do século 21…

PSICOLOGIA DO ESPORTE no esporte do século 21…
Compartilhar
Ouvir publicação

PSICOLOGIA DO ESPORTE busca técnicas e teorias que visam maximizar, tanto o desenvolvimento, quanto a eficiência e o rendimento do atleta, mas de maneira a não prejudicar suas questões físicas e nem psicológicas para tal.

Não basta talento e nem preparo físico, é preciso estar atento as questões psicológicas que os movem. O psicólogo promove intervenções sistemáticas dentro de determinado contexto, e não de modo fortuito, e nem tendo como foco apenas no seio coletivo.

Mas para que um trabalho adequado seja feito, faz-se necessário que tanto os atletas, quanto a equipe técnica e seus dirigentes, tenham a maturidade e profissionalismo suficiente para compreenderem a importância deste profissional, até chegando a ser, em alguns casos, a pedra angular da mudança esperada.

Existe ainda muita resistência por parte de muitos esportistas e técnicos quanto ao trabalho da psicologia, de um lado por terem dificuldade de compreensão do que se trata este trabalho, por experiências ruins que tiveram com psicólogos não sintonizados com tal prática e fato; por estarem ainda numa mentalidade ultrapassada no mundo esportivo, e até acreditando que podem fazer o papel que um psicólogo faria; e ainda por falta de capacidade intelectual para compreender que é a psicologia que coloca em melhor ação o talento e os treinos promovidos, ou os detém.

Outra questão é contratação de psicólogos não preparados adequadamente para a função de psicologia no esporte, que exige pelo menos a pós-graduação em Psicologia do Esporte, muito conhecimento técnico, domínio de várias ferramentas necessárias para aplicar num universo tão diferente do contexto clínico ou doutro do mundo da psicologia em geral.

Pouco ou nada adianta ter um psicólogo contratado no esporte sem os devidos critérios profissionais que tal função solicita, sendo então apenas maquiagem de ação, enfeite, e pior de tudo, como os resultados esperados não acontecem, os atletas e equipe técnica passar a acreditar que é o trabalho da psicologia no esporte em si que não funciona.

Como também é preciso ter o reconhecimento financeiro adequado para que um profissional da psicologia preparado para atuar no esporte atue a contento, não somente pela questão financeira positivo, pois este e todos os envolvidos tem, através do investimento alto feito, um carta deveras simbólica do quanto se acredita no potencial do profissional, bem como se demonstra assim consciência de que este trabalho é ímpar para o sucesso buscado.

Vale destacar sempre que os resultados da psicologia do esporte geralmente são a médio prazo no mínimo, e que geralmente são percebidos a longo prazo e numa sintonima com outros profissionais que merecerão os créditos pelas conquistas.

Estes antigos profissionais, que estão fora de sintonia disso tudo, estão com dias contados e fadados a terem uma carreira frustrante, e se não tanto, pelo menos chegarão muito aquém do que poderiam, se tivessem visão profissional atual de como se dá a prática esportiva como um todo, tanto profissional, quanto amadora.

(conteúdo trabalhado em minha palestra PSICOLOGIA & ESPORTE: um casamento perfeito e necessário)

Quem é o autor deste artigo: Carlos Alberto Hang, Psicólogo, Doutor e Mestre, Jornalista (SC03991); especialista/pós-graduado em psicologia do esporte, hipnose clínica, sexologia, dependência química, MBA em Liderança e Coaching, psicopedagogia, psicanálise, terapia cognitivo comportamental, educação infantil, e Ciências da Religião, com graduação também em Teologia, Filosofia, História, Letras e formação em hipnose transformacional; International Master Premium em Hipnose; Master PNL Practitioner (NLPEA Association of Excellence/USA); e escritor. Embaixador pela Cercle Universel des Ambassadeurs de la Paix (Genebra/Suíça), é Cônsul de Joinville – Instituto Internacional Poetas del Mundo, detentor do Oscar Brasileiro by Grupo Jornalístico Ronaldo Côrtes de São Paulo, e membro honorário imortal da Academia de Ciências, Letras e Artes de MG na cadeira 148. INSTAGRAM: @carlosalbertohang TWITTER: @hangjornalista FACEBOOK: @opiniaodeumlivrepensadorbyHANG

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Block