Quinta, 23/09/2021
Joinville - SC
fevereiro 6, 2020
Compartilhar
Ouvir publicação
Enquanto a sociedade volta sua atenção para o coronavírus, até o momento com nenhum caso confirmado no Brasil, doenças como o sarampo, a febre amarela e a dengue continuam sendo disseminadas pela falta de medidas simples e acessíveis, como a vacinação e cuidados básicos com a higiene.
 a

[ads1]

[ads2]

Para reforçar o risco que essas epidemias oferecem e a importância de a população se mobilizar para combatê-las, a Prefeitura de Joinville, por meio da Secretaria de Saúde de Joinville (SS) realizou, nesta quinta-feira (6/2), uma coletiva de imprensa para apresentar dados atualizados sobre a cobertura vacinal no município e ações implementadas para o combate ao mosquito Aedes aegypti.

Um dos pontos enfatizados pelo secretário de Saúde, Jean Rodrigues da Silva, foi a diferença entre o valor de prevenção do sarampo e da febre amarela, por meio da vacinação, e custo necessário para o tratamento de pacientes infectados.

Enquanto uma dose das vacinas contra o sarampo e febre amarela custam, R$ 6,07 e R$ 4,00, respectivamente, o tratamento do paciente custa aos cofres públicos R$ 1.924,71, de acordo com cálculos do Ministério da Saúde.

“O custo representa 3,1 mil consultas que vou deixar de colocar no sistema. Se tivermos epidemias de sarampo, febre amarela ou dengue, medidas drásticas precisarão ser tomadas, como o cancelamento de cirurgias eletivas, redimensionamento de espaços, contratação de mais profissionais, ou seja, vamos precisar investir recursos que seriam destinados a novas ações como ampliação de acesso, mais cirurgias e exames”, afirmou o secretário.

Campanha Nacional e Dia D

 Na segunda-feira (10/2), o Ministério da Saúde inicia mais uma Campanha Nacional de Vacinação Contra o Sarampo. No sábado (15/2), acontece o Dia D Campanha e 22 Unidades Básicas de Saúde de Joinville estarão abertas ao público, das 8h às 16h. “O Dia D não será de vacinação apenas contra o sarampo, mas para a população regularizar o seu quadro vacinal e aproveitar para se imunizar contra todas as doenças”, reforça o gerente de Vigilância em Saúde da Secretaria de Saúde de Joinville (SS), Henrique Deckmann.

 Aedes aegypti

Com investimento de aproximadamente R$1 milhão, o Serviço de Vigilância Epidemiológica de Joinville está realizando a contratação de 10 agentes de Combate às Endemias, instalação de novas armadilhas e utilização de ferramentas tecnológicas como os drones para vistoria de imóveis. Números atualizados do Serviço de Vigilância Ambiental apontam 719 focos positivos identificados na cidade, desde o início deste ano. Também foram diagnosticados dois casos de dengue, sendo um autóctone e um importado.

Febre amarela

Números atualizados do setor de Imunização da Secretaria da Saúde apontam que, em Joinville, aproximadamente 350 mil pessoas foram vacinadas contra a febre amarela, o que representa 74% de cobertura. Cerca de 130 mil pessoas ainda precisam ser imunizadas, para que atinja-se a meta de 100% de cobertura vacinal.

[ads1]

[ads2]

Block