Domingo, 16/01/2022
Joinville - SC

SC demonstra capacidade de superação e PIB cresce 9,8%

dezembro 7, 2021
SC demonstra capacidade de superação e PIB cresce 9,8%
Compartilhar
Ouvir publicação

Mesmo convivendo com um cenário de crise imposto pela pandemia, Santa Catarina demonstra resiliência e capacidade de superação. É o que têm registrado diferentes indicadores que indicam a temperatura do ambiente econômico do estado.

Agora, mais uma boa notícia é divulgada pelo Governo do Estado com o resultado PIB – Produto Interno Bruto. De acordo com estimativa da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Econômico Sustentável (SDE), o PIB catarinense passou de um crescimento de 9,1% nos 12 meses encerrados em junho, para um crescimento de 9,8% nos 12 meses encerrados em setembro, na comparação com os respectivos períodos anteriores. A porcentagem fez Santa Catarina superar São Paulo como os maiores estados do país. Esse é um dos destaques do Boletim de Indicadores Econômico-Fiscais lançado na segunda-feira, 6, com as atualizações econômicas do Estado.

O secretário do Desenvolvimento Econômico Sustentável, Luciano Buligon lembra que o estado é reconhecidamente, com uma economia diversificada, referência em inovação e empreendedorismo. “Temos saldo positivo de emprego, e a mais baixa taxa de desocupação do país. A meta agora é trabalhar para ampliar a oferta energética e o investimento em infraestrutura e logística para seguirmos competitivos na atração de empresas e das novas oportunidades que estão por vir com o fim da pandemia”, avalia.

“Após a crise econômica no segundo trimestre do ano passado, marcada pelo isolamento social, pela redução da mobilidade e pela paralisação de amplos setores produtivos, os indicadores econômicos do Estado passaram a exibir uma recuperação gradual e rápida que se estendeu por todo o segundo semestre de 2020 e se intensificou ao longo de 2021”, complementa o economista da SDE, Paulo Zoldan.

Um dos setores que impulsionou o crescimento do PIB foi o de serviços, que teve uma recuperação lenta e gradual a partir da segunda metade do ano e passou a crescer mais rapidamente ao longo de 2021. O crescimento do PIB também teve a participação da indústria de transformação, que após forte retração no mesmo período, voltou a crescer, inclusive superando o nível de produção pré-pandemia.

Destaques da evolução do PIB

Serviços – Setor de maior peso no PIB, cresceu 8,5%, sendo que o maior segmento, o comércio cresceu 10,6% nesse período. Todos os demais também já estão crescendo. Os serviços profissionais, técnicos e administrativos (+22,5%), os serviços de informação (8,4%), os transportes (+16,2%), a administração pública (1,8%) e os serviços domésticos (+10,5%). Os serviços prestados às famílias tiveram recuperação mais lenta e tardia, mas já acusam crescimento de 1,2%.

Indústria de transformação – Cresceu 16,9%, sendo que o único segmento que retraiu foi o da fabricação de Produtos Alimentícios (-10,3%).  Todos os demais segmentos cresceram. Metalurgia Básica (+54,1%); Máquinas e Equipamentos (+39%); Veículos automotores (+35,6%); Vestuário e Acessórios (+23,8%); Produtos Têxteis (23%); Máquinas, Aparelhos e Materiais Elétricos (+22,3%); Produtos de Borracha e Plástico (+16,7%); Papel e Celulose (+14,5%); Produtos de Madeira (12,8%) e Minerais Não-Metálicos (+10,4%).

Postos de trabalho – O desempenho da economia teve reflexo direto no mercado formal de trabalho. Entre as quinze maiores economias do país, Santa Catarina é o estado de maior crescimento do emprego nos últimos 12 meses (até outubro), 9,6%. A média brasileira apresentou crescimento de 7,5% no período.

Block