Sabado, 24/07/2021
Joinville

Relatório final da CPI do Rio Mathias acusa ex-prefeito, empresários e servidores por erros na obra

junho 16, 2021
Relatório final da CPI do Rio Mathias acusa ex-prefeito, empresários e servidores por erros na obra
Compartilhar
Ouvir publicação

A CPI do rio Mathias apresentou o relatório final nesta quarta-feira (16) na Câmara de Vereadores de Joinville e apontou os nomes das pessoas responsáveis por erros nas obras na cidade.

Participe do grupo de Whatsapp Aconteceu em Joinville – Clique Aqui

Foram cerca de 300 páginas lidas. A comissão de inquérito listou falhas na licitação e na execução das obras, além de sugerir a penalização de dez pessoas físicas e jurídicas por serem as responsáveis pelos problemas.

Dentre elas estão ex-secretários; ex-diretora executiva de secretaria, empresários, além do ex-prefeito da cidade, Udo Döhler. Segundo o relatório, conforme oitivas e documentos, Udo acompanhou diretamente todos os atos relacionados à Concorrência nº 139/2013 e a execução da Obra do Rio Mathias. 

Participe das PROMOÇÕES do AJ no You Tube – Clique aqui e se inscreva

O ex-prefeito disse, por telefone, que ainda não teve acesso ao relatório final da CPI da Câmara de Vereadores de Joinville. Disse que vai se inteirar do assunto para se posicionar. Perguntado sobre as irregularidades citadas no relatório, Udo disse que, por parte da Prefeitura, à época, não houve irregularidade e que está tranquilo sobre as investigações em andamento. NSC  

Aconteceu em Joinville no Twitter – Clique Aqui

Fatores que impactaram no andamento da obra, conforme apresentação da Empreiteira Motta Jr.

– Inexistência das interferências no projeto executivo;
– Em setembro de 2014 foi registrada em atas que as frentes de serviços seriam paralisadas para aguardar as alterações no projeto executivo prevendo as interferências de água e esgoto;
– Em novembro de 2014, a Seinfra, através do secretário Romualdo França, solicitou a suspensão da obra por 120 dias, a partir do dia 21 de novembro, por falta do projeto executivo de interferências;
– Abril de 2015 novo memorando informa que a suspensão por 120 dias não foi o suficiente, sendo necessário um prazo superior;
– Abril de 2017 – Conforme documentos apresentados, o município ainda não havia solucionado o problema com as interferências;
– Março de 2020 – Ofício emitido pela CAJ, informa que os serviços de realocação de água e esgoto foram concluídos e as datas em que as frentes de obra poderiam ser liberadas;
– A Companhia Águas de Joinville gastou quase R$ 10 milhões para serviços de realocação das interferências de água e esgoto. E outros contratos para elaboração os projetos executivos das interferências;
– Erros na planilha de preços elaborada pela empresa Parallela.

Siga-nos no nosso Instagram para receber notícias da região direto no seu celular. Para participar, basta CLICAR AQUI

Não é permitido replicar o conteúdo desse site.