Domingo, 01/08/2021
Joinville

Quintais das residências são os principais locais geradores da dengue

julho 7, 2021
Quintais das residências são os principais locais geradores da dengue
Compartilhar
Ouvir publicação

O Levantamento Rápido de Índices para Aedes aegypti (LIRAa), realizado pela Secretaria da Saúde de Joinville (SES), por meio da Vigilância Ambiental, apontou que os quintais das residências são os principais locais geradores da dengue.

Participe do grupo de Whatsapp Aconteceu em Joinville – Clique Aqui

Ao longo de 12 dias, foram visitados 5.673 imóveis localizados em todas as regiões da cidade, com o envolvimento de toda a equipe da Vigilância Ambiental. Em quase 39% das casas vistoriadas foram encontrados pratos de flores, potes e lonas com água acumulada. E em 17,43% dos imóveis havia plásticos, sucatas, tijolos, telhas, entulhos e latinhas com condições propícias para se transformarem em criadouros do mosquito.

O LIRAa é realizado duas vezes por ano e os resultados são acompanhados pelo Governo Federal. De acordo com o coordenador da Vigilância Ambiental de Joinville, Anderson da Silva, a pesquisa recente mostrou mudança no cenário atual, em relação ao levantamento feito em novembro de 2020.

“No ano passado, os principais focos do mosquito estavam nos depósitos fixos como bocas de lobo e caixas de passagem existentes em áreas externas. Neste ano, o problema foi para dentro das residências e os quintais são os principais focos do Aedes aegypti”, relata.

Siga-nos no nosso Instagram para receber notícias da região direto no seu celular. Para participar, basta CLICAR AQUI

Para a equipe da Vigilância Ambiental, essa mudança é reflexo da pandemia, período em que as pessoas voltaram sua atenção para a Covid-19 e descuidaram da dengue.

“O Aedes aegypti colonizou Joinville e embora as pessoas estejam mais preocupadas em combatê-lo agora, há um longo trabalho a ser feito em conjunto com a atuação do Poder Público, mas com a indispensável participação da comunidade”, reforça o coordenador.

Para ilustrar as dificuldades encontradas pela Vigilância Ambiental, em ação realizada no bairro Itaum, em junho, foram recolhidas duas toneladas de lixo de terrenos baldios e quintais de residências. Nas proximidades do trilho do trem, foram recolhidos mais de cem pneus descartados indevidamente e que poderiam se tornar criadouros para o mosquito.

Além das ações de prevenção e combate à dengue que fazem parte da rotina da Vigilância Ambiental de Joinville, o órgão está realizando parcerias estratégicas, como a vistoria em prédios públicos municipais, realização de teatro educativo junto aos alunos da Rede Municipal de Ensino. Momento que além de divertir e orientar, os estudantes também levam para casa o material “10 minutos para eliminar o mosquito”, uma relação com treze procedimentos que devem ser realizados semanalmente, com a finalidade de eliminar possíveis focos do mosquito.

O roteiro também é distribuído à população em outras ações como a exposição nas empresas, onde os agentes de combate a endemia apresentam aos trabalhadores materiais, equipamentos, utensílios e materiais educativos de combate à dengue.

De acordo com o coordenador da Vigilância Ambiental, toda essa força tarefa está sendo deflagrada pela Prefeitura de Joinville e deve surtir resultados positivos. Mas para que isso realmente aconteça, a população também precisa estar engajada, mesmo nos meses em que a temperatura está mais baixa.

“Nos próximos meses acreditamos que vamos colher bons frutos. Mas precisamos que o cidadão nos auxilie limpando as suas casas e os seus terrenos. Se isso acontecer, conseguimos reduzir efetivamente os casos de dengue”, conclui Anderson da Silva.

Participe das PROMOÇÕES do AJ no You Tube – Clique aqui e se inscreva

Block