terça-feira,

27/02/2024

Joinville/SC

Search
Close this search box.

Polícia descarta maus-tratos em caso de bebê recém-nascido no bolso do jaleco

Foto: Reprodução

A Delegacia de Polícia de Proteção à Mulher, à Criança e ao Adolescente (DPCAMI) de Itajaí encerrou a investigação relacionada ao vídeo que mostra uma funcionária do Hospital e Maternidade Marieta Konder Bornhausen dançando com um bebê recém-nascido no bolso do uniforme.

A Polícia Civil concluiu que a criança foi exposta a vexame ou constrangimento, caracterizando o artigo 232 do Estatuto da Criança e do Adolescente, referente ao incidente ocorrido em 14 de agosto de 2023.

A pena para esse crime pode chegar a até 2 anos, mas o desfecho do caso ainda aguarda julgamento.

A mãe do bebê expressou sua indignação nas redes sociais após a conclusão do inquérito.

O Ministério Público de Santa Catarina optou por não se manifestar sobre o caso, pois o processo tramita em segredo de justiça, devido ao envolvimento de um menor de idade.

A advogada da família também se absteve de comentários pelo mesmo motivo.

 

 

Você não pode copiar o conteúdo desta página
Pular para o conteúdo