Sabado, 16/10/2021
Joinville - SC

Pai que matou a filha será indiciado por sete crimes

agosto 14, 2021
Pai que matou a filha será indiciado por sete crimes
Compartilhar
Ouvir publicação

O autor do feminicídio que vitimou a filha de 13 anos será indiciado pela Polícia Civil por sete crimes. O caso aconteceu na noite dessa sexta-feira, dia 13, no bairro Imperatriz, em Criciúma. Após invadir a casa e esfaquear o filho de sete anos e depois a adolescente, ele ateou fogo na residência – onde estavam outras quatro crianças – e fugiu, mas foi capturado por volta das 6h50quando retornou ao local. A informação é do portal engeplus.

O criminoso de 39 anos foi ouvido pelo delegado Fernando Pagani Possamai e depois encaminhado ao Presídio Santa Augusta. Durante o depoimento, o homem não confessou os crimes de forma direta, mas relatou que estava na casa e que não recorda o que aconteceu. Ele será indicado pelo feminicídio contra a adolescente, três tentativas de homicídio qualificado, duas tentativas de feminicídio e pelo incêndio criminoso. Todas as vítimas são filhos do acusado.

“Foi lavrado auto de prisão em flagrante pela delegacia da mulher, é um ato de violência doméstica, de feminicídio tendo como vítima a própria filha de 13 anos de idade. Além disso, tentativa de feminicídio das outras duas filhas e mais (tentativa de) homicídio, de forma qualificada, contra três filhos que estavam na residência, inclusive um deles sofreu uma facada”, explicou o delegado em entrevista ao Portal Engeplus.

O homem também possui diversas passagens pela polícia por furto, lesão corporal, posse de drogas e tentativa de homicídio. Conforme a investigação, a mãe das crianças estaria em Laguna e também já foi vítima de violência doméstica. “Isso vai ser ouvido posteriormente, assim como familiares e vizinhos”, esclareceu o delegado.

Evidências

Mesmo que ele não tenha confessado de forma direta os crimes, para a Polícia Civil há evidências claras que comprovam a autoria, entre elas o relato de policiais que efetuaram a prisão, de testemunhas e o próprio interrogatório.

“As informações dos policiais militares que fizeram a prisão, com base em todas as informações de vizinhos e testemunhas que esclareceram que ele era a única pessoa que estava dentro da residência. E durante o próprio interrogatório ele confirmou que estaria na residência fazendo uma ‘comidinha’ e dali para frente não se recorda mais nada. Só ele convivia nesse período com as crianças, a mãe havia saído com medo deste senhor que cometeu os delitos”, ponderou.

A própria investigação dará seguimento às oitivas com familiares e vizinhos. Além do mais, o inquérito também deve ouvir algumas das crianças envolvidas no caso. “Outros dados complementares serão reconhecidos durante a investigação com oitivas com vizinhos e familiares que residem ali na localidade. Inclusive, se conseguirmos posteriormente a oitiva de algumas das crianças, de forma especial, para esclarecimentos (do que houve) no interior da residência”, justifica o delegado.

Laudo deve confirmar causa da morte

A Polícia civil também aguarda o laudo que provará a causa da morte da adolescente. O Instituto Geral de Perícias (IGP) esteve no local para recolher o corpo, coletar evidências e analisar se o óbito foi provocado pelos ferimentos produzidos pelas facadas ou resultado do incêndio.

“Foi solicitado ao IML (Instituto Médico Legal) essa pergunta e ainda não temos a resposta se foi derivado das lesões das supostas facadas ou outro instrumento contundente, ou do próprio incêndio por asfixia ou queimadura. Ainda falta a complementação do laudo com relação especificamente a esta informação. Nos próximos dias essas informações serão encaminhadas para a Delegacia da Mulher de Criciúma”, argumentou o delegado Fernando Pagani Possamai.

A casa onde o crime aconteceu está localizada na rua Everson Ramos Jesuíno. Guarnições do Corpo de Bombeiros realizaram o combate do incêndio utilizando 14 mil litros de água. Fonte engeplus.com.br

Aconteceu em Joinville no Twitter – Clique Aqui 

Block