Terça, 26/10/2021
Joinville - SC

Pacientes renais e os cuidados com a alimentação no inverno

julho 11, 2021
Pacientes renais e os cuidados com a alimentação no inverno
Compartilhar
Ouvir publicação

Com a chegada do inverno e das baixas temperaturas, os pacientes que realizam tratamento dialítico devem ficar atentos aos cuidados com a alimentação, para evitar agravos na saúde. A recomendação é da nutricionista da Fundação Pró-Rim, Andrea Sczip Petres. Segundo ela, nas estações mais frias do ano, é comum as pessoas aumentarem o consumo de líquidos, especialmente as bebidas quentes, como chá, café, chimarrão, chocolate, quentão, entre outros.

LÍQUIDOS

A nutricionista alerta que os pacientes em diálise devem redobrar os cuidados com o consumo de líquidos, “pois, em excesso, podem elevar o ganho de peso entre as sessões de diálise, trazendo complicações como edema agudo de pulmão, aumentos da pressão arterial, do risco de infartos e acidentes vasculares cerebrais”.

 

SOPAS E CREMES

Além das bebidas quentes mencionadas, ela alerta para o consumo de alimentos que proporcionem sensação de aquecimento ao corpo como caldos, sopas e cremes. “Também devem ser consumidos com moderação pelos pacientes em diálise, pois podem contribuir com o aumento do ganho de peso interdialítico. No inverno é comum as pessoas sentirem mais fome, pois o corpo trabalha mais e gasta mais energia para manter a temperatura corporal normal. Por isso a tendência é que as pessoas comam mais, o que também pode elevar o ganho de peso entre as sessões de diálise”, observa Andrea.

 

DICAS IMPORTANTES

Alguns cuidados importantes podem ajudar a manter o apetite controlado, garante a nutricionista, que compartilha dicas importantes: “Quando consumir sopas, sirva-se sem o caldo; dê preferência aos alimentos integrais, pois eles aumentam a saciedade e tem digestão mais lenta; procure variar a alimentação, não deixando de incluir frutas, vegetais, carnes, ovos, derivados do leite, feijão e cereais, pois quanto mais colorido o prato, é mais saudável e rico em nutrientes”, garante.

 

ULTRAPROCESSADOS

Ela orienta também sobre a importância de evitar o consumo de alimentos ultraprocessados, “pois eles não têm valor nutricional, são ricos em açúcares, sódio, gorduras e aditivos químicos. O consumo destes componentes pode aumentar a sede e consequentemente, a ingestão de líquidos”, acrescenta a nutricionista.
Aconselha evitar longos períodos sem se alimentar. E explica: “para não chegar com muita fome às refeições principais”. Por fim, lembra que dietas muito restritivas podem causar um efeito contrário e aumentar a fome. “Portanto, procure sempre seguir as orientações do seu nutricionista”, finaliza Andrea Sczip Petres.

Siga-nos no nosso Instagram para receber notícias da região direto no seu celular. Para participar, basta CLICAR AQUI

Block