Sabado, 25/09/2021
Joinville - SC
Compartilhar
Ouvir publicação

Todos discurso se neutraliza ou perde seu valor diante do ato contrário em sim. Como comentei em colunas desta semana, sou incentivador da cultura do carnaval, principalmente para crianças e famílias em especial, com concursos de fantasia e de marchinhas, bailinhos e afins, com eventos para crianças nas tardes, adolescentes final da tarde e meados da noite e para adultos nas madrugadas.

Infelizmente, parte do público “carnavalesco” da cidade mostrou, neste final de semana, de quem se trata. Sobre a sujeira deixada: mesmo com diversas lixeiras espalhadas pelo ambiente, o lixo deixa bem claro de quem se trata parte considerável do público, e isso está para além de nível social, econômico e educacional, de injustiça social e outros, mas de caráter. Se fosse um povo INTELIGENTE e CONSCIENTE, o ambiente estaria praticamente 100% limpo, e pouco trabalho para os garis teria, incentivando o poder público e privado a investir mais neste entretenimento.

Pior, se é que dá para colocar nivelamento nesta questão, é a situação entre a PM e alguns dos “foliões”, os quais depredaram patrimônio público e ameaçaram a vida dos soldados jogando pedras enormes e garrafas de vidro nos mesmos.

Sites de suposto “jornalismo” ainda usam para incitar, doutrinar, alienar e padronizar suas ideologias, usando o caso para tal, como colocando a polícia como se fosse a culpada pelo fim da festa ocorrer, mostrando pessoas que receberam as galas de borracha como se fossem somente vítimas e ainda que queriam e pediam paz, que os soldados xingavam as pessoas e etc, usando o suposto “jornalismo” para colocar a população contra a necessária polícia, principalmente num país que vivemos, sendo resultado de décadas de governos destas mesmas ideologias em primazia em Brasília.

O mais patético são os comentários culpabilizando o então presidente Bolsonaro e os eleitores do mesmo, mostrando total limitação de capacidade de reflexão e análise dos casos. Estes mesmo sites sensacionalistas sinalizam que ocorreu na madrugada deste domingo com a presença de idosos e crianças, mas então como assim? criança de madruga numa festa deste porte? Mas é mais uma tentativa patética de manipular através das informações e incutir suas ideologias, e não jornalismo de fato se trata, pois nem coluna de opinião se trata como esta aqui, que pode ter opiniões contrárias naturalmente, mas artigo maquiado de jornalístico com o objetivo não de informar, mas doutrinar e alienar, provavelmente, pois jornalismo não é isso.

Doutro lado temos a prefeitura de Joinville que promove e permite um evento deste porte sem ter estrutura adequada para evitar tamanho desastre. Que tipo de projeto é esse em que não contempla a segurança preservada dos participantes? Que amadorismo ou irresponsabilidade é essa de seus promovedores, sejam eles públicos ou privados? Qual incentivo de pessoas de bem voltarem a participar doutros destes eventos e ainda mais quem nem esteve lá por já ter um sentimento de insegurança anteriormente?

Qual a possibilidade dos soldados da PM terem exagerado na reação? Quase nenhuma na maioria dos casos, pois eles respondem aos comandos e não tomam decisão por si, e os comandantes não são amadores despreparados, e muito menos irresponsáveis, e ainda menos querem fazer algo que macule o nome da corporação em si. Mas tudo será apurado e confirmado ainda. (na imagem acima parte do material apreendido atirado contra os soldados)

E quanto aos carros e motos, danificados pelos manifestantes? Se as leis brasileiras não fossem tão patéticas (que incentivam as transgressões), deixariam presos os culpados até que pagem por todos os danos ao patrimônio público e privado provocado. Mas sabemos que não ocorrerá e pior, eles também sabem, e por isso atuam na marginalidade. E a conta vai para o contribuinte, o cidadão trabalhador de fato que tem parte importante de seu salário destinado aos cofres públicos através dos impostos. Sim, é do POVO DECENTE E DE BEM a conta disso tudo. Estar drogado, bêbado, estar num grupo incentivador de ações depreciativas, ser um frustrado e problemático de diversas ordens, não justifica qualquer ação contra a sociedade, em detrimento dos valores sociais esperados, e muito menos deve isso tudo amenizar a culpabilidade de suas ações.

Da nossa PM não queremos nunca força para além da necessária para que o controle seja mantido e AS PESSOAS DE BEM salvaguardadas de males maiores. Caso a PM não tivesse feito o que fez, e crescesse o atrito dos arruaceiros, será que não teríamos pessoas decentes ali presentes, que creio que sejam a maioria, machucadas? Apoio e estou sempre do lado da PMSC, até me provarem que não devo confiar na instituição em si.

É deveras lamentável termos que fazer estes tipos de análises numa festa popular ocorrendo, no lugar de estarmos parabenizando os promovedores do evento e o público presente e incentivando o setor público e privado para termos mais e maiores destes eventos. Mas o efeito é o contrário, e muitos, infelizmente fazem ligação com o carnaval, como se ele fosse culpado por tais problemas e não parte do povo desviante.

Usarmos as análises que precisam ser feitas, para refletirmos a respeito no intuito de que sejam evitados problemas desta ordem noutras oportunidades, é relevante, mas marginalizar o carnaval e culpabilizar até o presidente da república pelo ocorrido, é apenas dar atestado público de ser detentor de uma capacidade intelectual bem primária e limitada.

Graças a alguns pessoas descontroladas, a maioria que estava apenas para curtir, postar suas fotos sorrindo nas redes sociais, estar com amigos, iniciar namoros ou apenas fazer novas amizades saudáveis e curtir e festejar a vida com a família, perdem com isso.

Mas não desistamos do carnaval de Joinville, mas busquemos organizadores públicos e privados preparados e responsáveis pelos eventos, bem como EXIJAMOS de todos uma postura consciente e decente no seio da sociedade, repudiando as pessoas que não condizem com tais características e não as desculpando e muito menos as enaltecendo.

Que mais do que buscarmos culpados e inocentes neste caso, que sirva para que a cena não se repita em novas tentativas de levar entretenimento ao povo de bem da nossa que é a terceira maior cidade do Sul do país, e merece respeito e dedicação diante disso, pois o povo é, em sua quase totalidade, trabalhador, honesto e respeita o próximo, pois do contrário não seríamos uma cidade tão forte, e referência no país sobre vários segmentos.

Aos culpados o arrependimento, e as pessoas de bem que não desistam do carnaval e outras festividades populares em nossa cidade, pois merecem este espaço de entretenimento e confraternização.

Eis minha opinião diante do que tenho de conhecimento até então dos casos apresentados, mas seja como foi, é apenas uma OPINIÃO DE UM LIVRE PENSADOR. Estando equivocado, posso mudar de opinião, pois NÃO TENHO COMPROMISSO COM O ERRO.

 

 

 

Block