Quinta, 23/09/2021
Joinville - SC
Compartilhar
Ouvir publicação

Podemos questionar as estatísticas desta pandemia, podemos questionar a necessidade de um isolamento horizontal, podemos questionar o uso de alguns medicamentos para a cura, podemos questionar o próprio vírus enquanto sua origem, bem como podemos questionar os números de morte alegadas serem por canta do COVID-19, mas o que fica evidente é a estrutura de atendimento sendo feita devido ao vírus, seja em que intensidade e realidade ele for, bem como em que estados ou cidades poderíamos ficar mais tranquilizados quanto a isso ou mais desesperados.

 

Em Joinville, em especial no que diz respeito ao UBSF Bucarein analisada na prática, o empenho e profissionalismo reinante é exemplar e merecedor de salvas de palmas insistentes, em especial durante esta situação que estamos passando, os quais não medem esforços para atender da melhor maneira que lhes é possível até então.

Destaco aqui que, a grande maioria do funcionalismo da saúde de Joinville tem se empenhado em oferecer um serviço de qualidade, e o que não fica a contento, geralmente é por erro de gestão da própria prefeitura, a qual ainda tem feito melhoras à conta gotas e cometido diversos erros, os quais vão sendo suplantados aos poucos através da boa vontade dos profissionais da saúde de nossa cidade, desde os médicos, enfermeiros, atendentes, farmacêuticos, até mesmo o pessoal da limpeza, merecem todos honras e agradecimentos, além de respeito de todos nós, pois além de tudo, ficam à merce de doenças por estarem trabalhando enquanto nós estamos em nossas casas.

É relevante que o povo não faça ligação de problemas técnicos e de competência de gestão da saúde, de responsabilidade do prefeito e seus afins, com a atuação dos funcionários que trabalham diretamente com o povo, pois seria injusto, até diante do empenho de grande parte destes no que diz respeito a um atendimento de saúde, mesmo diante de tanta dificuldade que enfrentam diariamente.

Não desconte a gestão ruim nos funcionários, pois os mesmos não têm culpa pela falta de medicamentos constantemente, com uma fila de espera nas especialidades, como urologia, em que pacientes estão entre 2 a 3 anos ou mais na fila e ainda têm mais de 4 mil na frente, quase a mesma coisa de quando entraram nela, e etc.

A todos os profissionais de saúde da terceira maior cidade do Sul do Brasil, recebam nossas mais sinceras homenagens e agradecimentos, e que Deus os proteja diariamente e que lhes multiplique em bênçãos toda dedicação honesta e sincera que nos dispensam, principalmente durante esta difícil fase que passamos. OBRIGADO !!!

Carlos Alberto Hang

(Carlos Alberto Hang, jornalista SC03991, com formação e Ciência Política, Adm. com Foco em Gestão Pública, Política Contemporânea, e psicólogo)

 

Block