Domingo, 22/05/2022
Joinville - SC

‘Mulher estava no lugar errado’, diz delegado sobre casal morto no Itinga

abril 29, 2022
‘Mulher estava no lugar errado’, diz delegado sobre casal morto no Itinga
Compartilhar
Ouvir publicação

Os criminosos que mataram um casal em Araquari, no Norte de Santa Catarina, queriam assassinar somente o homem, acredita o delegado responsável pelo caso, Eduardo de Mendonça. “Foi uma execução para a vítima Inarel. A mulher somente estava no lugar errado e foi possível queima de arquivo“, afirmou o investigador. Os corpos dos dois foram encontrados na tarde de quarta-feira (27).

Inarel Amâncio dos Santos, de 34 anos, e Maria Eduarda Casas, de 25, foram achados mortos com tiros na cabeça na casa do homem, no Bairro Itinga. A Polícia Civil investiga o caso como duplo homicídio. As vítimas eram um casal de namorados.

O delegado afirmou que há hipótese de acerto de contas no crime contra Inarel. Já em relação a Maria Eduarda, ele disse que a jovem estava na casa somente naquele dia e não tinha um relacionamento sério com o rapaz. A morte pode ter acontecido apenas para que ela não reconhecesse os criminosos, de acordo com Mendonça.

Ele também disse que a polícia continua as investigações em campo e que analisa imagens de câmeras de segurança. 

Armas, balas e colete balístico apreendidos na casa de homem encontrado morto em Araquari — Foto: Polícia Civil/Divulgação
Armas, balas e colete balístico apreendidos na casa de homem encontrado morto em Araquari — Foto: Polícia Civil/Divulgação

“Ela estava morta na sala com um tiro na cabeça e ele, morto fora da casa, em uma parte de uma edícula, com um tiro também na cabeça”, afirmou o delegado.

Escolta ilegal

Na casa, a polícia apreendeu coletes balísticos, armas e balas (veja na foto acima), que eram do homem, segundo o delegado.

“Ele trabalhava com algum tipo de escolta armada, mas nada legal. Esse trabalho que ele fazia era de modo informal e ilegal. As armas todas ilegais. Não pertenciam legalmente a ele. Eram dele porque estavam na residência. Temos que investigar a procedência dessas armas ainda”, afirmou.  https://g1.globo.com/

Block