Quarta, 25/05/2022
Joinville - SC

Mulher aciona ‘botão do pânico’ e suspeito de ameaçar ex-companheira e filha de 2 anos é preso

março 21, 2022
Mulher aciona ‘botão do pânico’ e suspeito de ameaçar ex-companheira e filha de 2 anos é preso
Compartilhar
Ouvir publicação

Um homem foi preso preventivamente após a ex-companheira dela acionar o “botão de pânico” do aplicativo de celular do programa Rede Catarina, de proteção a vítimas de violência doméstica. De acordo com o Poder Judiciário, ele descumpriu uma medida protetiva. Além disso, ameaçou a ex-companheira e a própria filha de 2 anos de morte.

 

A prisão foi deferida pela Justiça de Dionísio Cerqueira, no Oeste catarinense. O caso foi divulgado pelo Poder Judiciário neste segunda-feira (21). As ameaças de morte foram feitas através de mensagens de celular.

O homem foi intimado sobre a medida protetiva de urgência em 2 de fevereiro. Conforme a Justiça, ele desrespeitou a ordem por três vezes. Em uma das mensagens, ele disse que preferia matar a ex-companheira e a própria filho a pagar algo para elas, referindo-se à pensão alimentícia.

A vítima, apavorada, apertou o “botão do pânico” do aplicativo. De acordo com a Justiça, assim que a polícia chegou, o homem fugiu. Ao saber do caso, a Rede Catarina entrou em contato com o Ministério Público do estado, que pediu a prisão preventiva do homem.

O mandado de prisão foi feito em 9 de março e a prisão ocorreu na terça-feira (15). Os boletins de ocorrência comprovam que a violência doméstica ocorria há pelo menos dois anos.

Na decisão, que serviu também como mandado de prisão, a juíza Andreia Cortez Guimaraes Parreira citou o descumprimento da medida protetiva, o não comparecimento em uma audiência judicial e a gravidade das ameaças que “tornam evidente o risco à ordem pública que a liberdade do réu tem representado”. O processo tramita em segredo de justiça.

Aplicativo da polícia

O recurso serve para que a vítima de violência doméstica, caso não consiga ligar e também não queira ser exposta durante o fato, acione a Central Regional de Emergências (CRE) via aplicativo de celular para que a PM desloque até o local da denúncia.

Rede Catarina

O programa acompanha 54 vítimas em Chapecó. Durante as visitas, a guarnição especializada auxilia as mulheres na instalação do aplicativo PMSC Cidadão e também como utilizar a ferramenta. Além disso, os policiais também realizam orientações via aplicativo de mensagem, prestando todo apoio necessário no momento de fragilidade. g1.com

Block