Segunda, 16/05/2022
Joinville - SC

Integrantes da torcida União Tricolor são presos

março 24, 2022
Integrantes da torcida União Tricolor são presos
Compartilhar
Ouvir publicação

A operação foi deflagrada na manhã desta quinta-feira (24), cumprir 14 mandados de busca e apreensão e prisão preventiva contra membros da torcida organizada “ União Tricolor”, responsáveis pelos atos de violência ocorrido no último dia 20 de fevereiro em uma conveniência e supermercado no bairro Aventureiro, que deixou um homem gravemente ferido atingido com um barra de alumínio, chutes e socos.

A emboscada contou com aproximadamente 30 integrantes da torcida que fez também mulheres e crianças vítimas da ação.
Nesta primeira etapa foram identificados 13 homens , 09 mandados de prisão foram cumpridos. A operação foi realizada com apoio da CORE, DIC , 1ª, 2ª, 3ª, 5ª, 6ª Delegacia de Polícia de Joinville, Delegacia de São Francisco e Araquari, totalizando 52 policias civis.

No decorrer das diligências integrantes da torcida investiram contra uma viatura descaracterizada e agentes que realizam campana na proximidade da sede da torcida , no bairro Bucarein, sendo que 05 homens foram presos em flagrante.

 

Relembre o caso

A  confusão envolveu torcedores do Joinville, Paysandu e Remo dentro de um estabelecimento comercial localizado no bairro no Aventureiro. Imagens das câmeras de monitoramento do bar localizado na rua Antônio Jorge Cecyn registrou a briga. Pelo whatsapp a torcida do Joinville recebeu provocações. Por volta das 15h20, quando a União Tricolor estava em Jaraguá do Sul para assistir ao jogo, um integrante da torcida recebeu mensagens de um torcedor do Paysandu.

 

Por volta das 20h, aproximadamente 20 integrantes da torcida União Tricolor, de posse de foguetes, rojões e tacos de baseball, fechou a rua e invadiu o estabelecimento. De acordo com a Polícia Militar, ao chegar no local, o grupo ordenou para que os torcedores do Remo e do Paysandu, tirassem as camisas, caso contrário iriam morrer.

Na sequência, torcedores do Joinville que estavam encapuzados e fazendo uso de capacetes, começaram a agredir os torcedores dos clubes paraenses dentro do local. Ao perceber que um homem estava desacordado no chão, o grupo se evadiu.  A esposa do torcedor, Adriely Rodrigues, de 22 anos, grávida de oito meses, está passando dificuldades ao lado do esposo. O casal está em Joinville há três anos e Gleidson trabalha em uma empresa que produz artefatos de cimento.

 

Block