Sabado, 28/05/2022
Joinville - SC

Infectologista do Sistema Hapvida recomenda intensificar os cuidados para evitar flurona

fevereiro 14, 2022
Infectologista do Sistema Hapvida recomenda intensificar os cuidados para evitar flurona
Compartilhar
Ouvir publicação

Em meio à pandemia da Covid-19 e com surto da gripe H3N2, intensificar os cuidados é fundamental para evitar casos de Flurona – a dupla infecção causada pela contaminação da Sars-CoV-2 e da Influenza A ao mesmo tempo. O infectologista do Sistema Hapvida em João Pessoa, Fernando Chagas, relata um aumento das síndromes gripais.

Clique aqui e participe do grupo

de Whatsapp Aconteceu em Joinville

“O caminho para prevenção é um só: uso de máscara, higienização das mãos e superfícies, evitar grandes aglomerações e evitar toque e abraço em que os indivíduos se coloquem em situações de risco de contato de transmissão de doenças respiratórias”, orientou.

No pacote de síndromes gripais encontra-se a gripe, causada pela H3N2 (Influenza A), e a covid-19c causada pelo Sars-CoV-2, em que já foi identificado a prevalência da Delta em alguns estados, e agora a circulação da Ômicron. “Primeiro identificamos como síndrome gripal e após histórico de cada indivíduo é que vamos buscar saber se pode ser a covid-19, a H3N2 ou ambas”, explica.

O infectologista esclarece que inicialmente descarta-se os casos de Covid-19 e quando as pessoas necessitem de internação, é então iniciado o processo de investigação da H3N2. Lembra ainda que o Sistema Hapvida tem feito teste duplo, que permite diagnosticar a covid ou a gripe pela gripe H3N2 ao mesmo tempo.

Chagas aponta que encontrar infecção com duplo vírus não é algo incomum. “Durante o ápice da pandemia no País, foi identificado pessoas com infecção por vírus da dengue e da Covid ao mesmo tempo; pessoas com chikungunya e covid, bem como com dengue e chikungunya”, afirma.

Siga-nos no nosso Instagram para receber notícias da região direto no seu celular. Para participar, basta CLICAR AQUI 

O médico destaca que agora o risco é encontrar na população os dois vírus que atacam o sistema respiratório ao mesmo tempo. Isso, segundo ele, torna a situação séria por serem dois vírus que podem levar o indivíduo a sofrer Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG), que é um acometimento grave dos pulmões.

Presença do vírus X Doença – Fernando Chagas ressalta que apresentar o vírus no organismo humano não representa necessariamente manifestar a doença. “Se a pessoa é vacinada com todas as doses da vacina contra covid-19 há uma menor chance de contrair o vírus e, contraindo, existe uma possibilidade maior de passar pela presença do vírus no corpo de forma assintomática ou com poucos sintomas.

O que, obviamente, diminui os riscos de uma forma grave até mesmo para dupla infecção”, assegura. “Em jovens adultos sem comorbidades, há uma tendência de apresentar uma gripe comum. Porém, em populações com maior vulnerabilidade – no caso, idosos, crianças, pessoas com diabetes descontrolada, doença renal, pulmonar, gestantes e puérperas –, a presença dos dois vírus pode se tornar um quadro grave”, acrescenta.

Testagem – No que diz respeito a testagem dos possíveis casos, Chagas sugere que o ideal é testar as pessoas que estão com quadro clínico de SRAG, já que não é possível testar toda população doente. Já as pessoas com Síndromes Gripais Leves, a orientação é fazer inicialmente o teste da covid-19, que está disponível em maior quantidade em todo país. “O teste rápido de antígeno para covid-19 pode ser feito em toda população e o teste duplo, em pacientes com quadros de SRAG”, orienta.

Tratamento – “As pessoas que estão com critérios de gravidade, precisam ficar internadas, algumas precisam de oxigênio, por vezes é necessário o uso de corticóides e até mesmo antibiótico, caso venha a desenvolver uma pneumonia”, aponta.

Sobre o Sistema Hapvida

Com mais de 7,4 milhões de clientes, o Sistema Hapvida hoje se posiciona como um dos maiores sistemas de saúde suplementar do Brasil presente em todas as regiões do país, gerando emprego e renda para a sociedade. Fazem parte do Sistema as operadoras do RN Saúde, Grupo Promed, Premium Saúde, além da operadora Hapvida e da healthtech Maida. Atua com mais de 38 mil colaboradores diretos envolvidos na operação, mais de 15 mil médicos e mais de 15 mil dentistas. Os números superlativos mostram o sucesso de uma estratégia baseada na gestão direta da operação e nos constantes investimentos: atualmente são 49 hospitais, 203 clínicas médicas, 49 prontos atendimentos, 176 centros de diagnóstico por imagem e coleta laboratorial.

Block