Segunda, 27/06/2022
Joinville - SC

Homem faz mulher como refém por mais de três horas no Petrópolis

junho 14, 2022
Homem faz mulher como refém por mais de três horas no Petrópolis
Compartilhar
Ouvir publicação

No início dessa madrugada, 14, uma mulher vítima de violência doméstica acionou o botão do pânico da Polícia Militar, pois seu ex-companheiro estava forçando a entrada em sua residência, no Bairro Petrópolis em Joinville.

Inscreva-se em nosso canal no YouTube!

O suspeito, que foi preso pela polícia, havia saído do sistema prisional horas antes / Foto Polícia Militar / Divulgação

A vítima acionou o botão de pânico através do aplicativo PMSC Cidadão. O homem conseguiu invadir a residência, onde estava a vítima e um senhor de 83 anos, pai da mesma. Ele manteve a vítima em cárcere privado e a ameaçava de morte, dizia que se ela não ficasse com ele, não ficaria com mais ninguém.

Quando a Polícia Militar chegou no local, deparou-se com a vítima pedindo socorro. O autor mantinha a vítima refém sob a ameaça de matar a mesma com um objeto pontiagudo. O local estava trancado por correntes, o que dificultava o acesso da polícia.

 

Os primeiros policiais que chegaram no local, isolaram a área e iniciaram a intervenção. Os policias da Companhia de Patrulhamento Tático (CPT) ao chegarem no local assumiram as negociações. Em determinado momento a mulher começou a passar mal, então o agressor permitiu que a equipe do paramédico e o negociador se aproximassem. As negociações continuaram, até que em determinado momento o agressor aceitou se render, sem que fosse necessário uso da força.

Como protocolo para esse tipo de ocorrência, o BOPE foi acionado e durante o deslocamento dessa guarnição especializada, os policiais militares que estavam no local lograram êxito na negociação.

O homem havia sido preso pela Rede Catarina no dia 14 de abril desse ano, por descumprimento da medida protetiva. O agressor saiu do presídio com a tornozeleira por volta das 20h da noite de ontem, porém o mesmo arrebentou o sistema de vigilância e na madrugada já estava cometendo o crime contra a ex-companheira.

A vítima possui medida protetiva contra o agressor e era acompanhada pela Rede Catarina do 17º BPM, por isso tinha o aplicativo PMSC Cidadão instalado com botão de pânico liberado.

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Block