Domingo, 01/08/2021
Joinville

Fazendeiro que ajudou Lázaro é indiciado: “Dificultou o trabalho da polícia”

junho 30, 2021
Fazendeiro que ajudou Lázaro é indiciado: “Dificultou o trabalho da polícia”
Compartilhar
Ouvir publicação

fazendeiro Elmi Caetano, 74 anos, preso por auxiliar na fuga de Lázaro Barbosa Sousa, 32, foi indiciado pela Polícia Civil do Estado de Goiás (PCGO) pelos crimes de favorecimento pessoal — consiste na ajuda prestada para que o autor do delito não seja alcançado pela autoridade pública — e posse ou porte ilegal de arma de fogo. O idoso foi detido na quinta-feira (24/6) por policiais penais da Diretoria Penitenciária de Operações Especiais (Dpoe) e permanece preso no presídio de Águas Lindas de Goiás.


Participe do grupo de Whatsapp Aconteceu em Joinville – Clique Aqui

Em entrevista ao Correio Braziliense, o delegado Rafhael Neris Baboza, titular da Subdelegacia de Polícia de Cocalzinho de Goiás, afirmou que o fazendeiro dificultou “de todas as formas” o trabalho da polícia. “Ele não deixava os policiais entrarem na fazenda para fazer a averiguação. Então, a equipe foi achando estranho essa atitude, visto que todos os moradores estavam colaborando nas buscas”, detalhou.

Elmi responderá pelos crimes de favorecimento pessoal, cuja pena vai de um mês a seis meses de detenção, e por porte ilegal de arma de fogo, que pode ultrapassar seis anos de reclusão. O caseiro Alain Reis, 34, que chegou a ser detido junto ao patrão, não foi indiciado. “Ficou constatado que ele não teve envolvimento nos delitos e ajudou nas buscas, colaborando com o andamento das investigações”, salientou o delegado.

Procurada pelo Correio Braziliense, a defesa de Elmi confirmou os indiciamentos e frisou que aguarda o andamento do processo. “Não vamos nos manifestar para preservar a família. Depois, iremos emitir uma nota”, destacou o advogado Ilvan Barbosa.

Audiência de custódia

Na audiência, realizada na sexta-feira (25/6), a juíza Luciana Oliveira, ao converter a prisão de Elmi em preventiva, destacou à época que o fazendeiro representa risco efetivo à ordem pública. Ela justificou, ainda, que foram reunidos indícios de que o réu, por vários dias, deu guarida, em sua fazenda, a Lázaro.

 

Siga-nos no nosso Instagram para receber notícias da região direto no seu celular. Para participar, basta CLICAR AQUI

Block