Sexta, 24/09/2021
Joinville - SC
janeiro 1, 2020
Compartilhar
Ouvir publicação

Moradores de cidades do litoral catarinense relataram problemas de falta d’água. Em Penha, no Litoral Norte, há quem esteja há quase uma semana sem água. Em São Francisco do Sul, no Norte do estado, a população também sofre com o desabastecimento. Na Grande Florianópolis, a Companhia Catarinense de Águas e Saneamento (Casan) pede que as pessoas economizem até 6 de janeiro.

Participe do grupo de TELEGRAM  do Aconteceu em Joinville – Clique Aqui

Participe das PROMOÇÕES  do  AJ no You Tube –  Clique aqui e se inscreva

Siga-nos também no Instagram!  Clique Aqui

[ads1]

[ads2]

Em São Francisco do Sul, moradores e turistas também estão enfrentando problemas. O fim de ano da família da moradora Janete Olinda foi assim: há dois dias com o abastecimento de água comprometido, as torneiras estão vazias e louça se acumulando.

População de São Francisco do Sul enfrenta falta d’água

“Não deu para lavar a louça do almoço, não deu para tomar banho. Então a gente está esperando que de hoje [quarta] para amanhã [quinta], à noite, normalize” disse Janete. Ela mora há 22 anos em São Francisco do Sul e disse que já está acostumada com a situação.

A população atual de São Francisco do Sul é de 55 mil pessoas. Porém, durante a temporada de fim de ano, a cidade recebe cerca de 200 mil visitantes. Ou seja, é cinco vezes mais gente consumindo água. Os bairros mais afetados são os mais procurados pelos turistas.

A Companhia Águas de São Francisco do Sul afirma que a principal causa da falta d’água é a estiagem. E pede aos moradores e turistas que façam o uso consciente. A previsão é de que com a volta da chuva, ainda hoje à noite o abastecimento seja restabelecido.

Penha

A moradora de Penha Otília Pinheiro armazenou em bacias, do lado de fora da casa, o pouco de água que conseguiu e que chegou na rede de terça-feira (31) para quarta (1º). “Desconforto para mim, como para toda a população, uma falta de respeito. Não tem respeito com a gente. Está aqui a minha conta, está em dia”, disse Otília. Mas há quase uma semana a situação dela e de outros moradores de Penha é de total falta de água.

A água que abastece o município vem de Balneário Piçarras, também no Litoral Norte, da Casan. A administração é feita pela concessionária Águas de Penha, que compra e distribui a água na cidade. Mas a demanda sobe na alta temporada, quando a cidade, que tem 33 mil habitantes, chega a receber 150 mil pessoas.

O prefeito da cidade disse numa rede social na última segunda (30) que o contrato com a concessionária existe desde 2015, quando ela venceu uma licitação pelo período de 35 anos para o abastecimento de água esgoto na cidade. Segundo o prefeito, já foram feitas diversas tentativas de reparto ação do contrato para a melhoria dos serviços, mas nada saiu do papel. A concessionária já reativou posroa e construiu um reservatório…mas o problema continua.

A concessionária Águas de Penha enviou uma nota (confira a íntegra abaixo) dizendo que ao longo de 2019, esteve em constante contato com o poder público, se oferecendo a todo momento para solucionar as demandas necessárias para que Penha tenha um sistema próprio de abastecimento, já que a água que vem da Casan de Balneário Piçarras não é suficiente.

Reconheceu que os investimentos de SEIS milhões de reais em 2019 apenas amenizaram o problema do desabastecimento nesta época e reforçou que neste ano de 2020, segue à disposição para resolver o problema na cidade de Penha.

[ads1]

[ads2]

A falta de água não afeta só o município de Penha. o nível do rio Camboriú, que abastece as cidades de Camboriú e de Balneário Camboriú, está muito baixo. com alto consumo dos últimos dias, e a falta de chuva, a captação pode ser prejudicada. Por isso na terça diversos chuveiros da Praia Central de Balneário Camboriú foram fechados e a orientação é economizar água.

Grande Florianópolis

O superintendente regional da Casan, alertou nesta quarta para uso consciente da água até 6 de janeiro na Grande Florianópolis. Segundo ele, nesse período, a população de algumas cidades chega a triplicar.

Casan pede que população economize água na Grande Florianópolis

Não há registros de grandes problemas no abastecimento, afirmou o superintendente, apenas algumas intermitências. As altas temperaturas e os 15 dias sem chuvas também foram apontados como problemas que podem causar dificuldades no fornecimento de água durante os primeiros dias do ano. Fonteg1.com

Participe do grupo de TELEGRAM  do Aconteceu em Joinville – Clique Aqui

Participe das PROMOÇÕES  do  AJ no You Tube –  Clique aqui e se inscreva

Siga-nos também no Instagram!  Clique Aqui

[ads1]

[ads2]

 

Block