Segunda, 27/06/2022
Joinville - SC

Exposição resgata memória de comandante dos bombeiros

março 18, 2022
Exposição resgata memória de comandante dos bombeiros
Compartilhar
Ouvir publicação

O Museu Nacional dos Bombeiros Voluntários promove uma exposição inédita para homenagear o segundo comandante do Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville, Félix Heinzelmann, que esteve à frente da corporação por cinco anos – período de 16 de agosto de 1893 a 8 de agosto de 1898.

A exposição traz tópicos da história, uniforme e acessórios utilizados na época. Está aberta à visitação até 9 de abril, das 10 às 16h, na Casa da Memória (junto ao Cemitério do Imigrante). A mostra foi aberta dia 9 de março e integra o calendário de eventos comemorativos aos 171 anos cidade.

Félix Heinzelmann, que este à frente da corporação entre 1893 a 1898, introduziu treinamentos com equipamentos e criação do estatuto das reuniões

Heinzelmann nasceu em 24 de janeiro de 1860, no Sul da Alemanha, e migrou para Colônia Dona Francisca aos 28 anos, em 1888. De formação militar e agrônomo, atuou como professor na escola alemã em Joinville. Como comandante do Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville – assumiu o posto no lugar de Victor Mueller – foi responsável pelos primeiros exercícios com cinto e capacetes da corporação recém-fundada. Sua maior contribuição foi criar o estatuto das reuniões, formato mantido até os dias atuais pele entidade, e investimento em treinamento.

 

Sua liderança transformou os bombeiros numa instituição de grande valor e presente em eventos, gerando sentimento de segurança na comunidade, organizados sob o lema “Por Deus e pelo Próximo“. Exemplo disso foi a participação dos “soldados do fogo” nos acontecimentos da Revolução Federalista em 1893. Félix Heinzelmann coibiu a entrada dos revoltosos na cidade e comandou o patrulhamento dos limites do município integrando bombeiros, ginastas e atiradores. Sua destacada atuação rendeu a patente de Capitão da Guarda Nacional integrando o 1º Regimento de Cavalaria da Guarda Nacional em Joinville.

Heinzelmann morreu aos 38 anos, em agosto de 1898, e foi enterrado no Cemitério do Imigrante. A lápide, construída pelos bombeiros voluntários, foi revitalizado pela família em 2021. Na cerimônia em homenagem aos imigrantes, no dia 9 de Março, o prefeito Adriano Silva e o governador Carlos Moisés depositaram uma coroa de flores em seu túmulo.

Para saber mais sobre sua história na Sociedade Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville e atuação na Revolução Federalista de 1893 acesse https://bit.ly/3MUGwJZ .

Serviço
O quê:
 Exposição “Por Deus e pelo Próximo” em homenagem a Félix Heinzelmann, segundo comandante da Sociedade Corpo de Bombeiros Voluntários de Joinville
Onde: Casa da Memória (junto ao Cemitério do Imigrante). Rua 15 de Novembro, 1000.
Quando: até 9 de abril, das 10 às 16
De graça

Block