Quarta, 29/06/2022
Joinville - SC

Estuprador é procurado pela Polícia Civil na região

maio 16, 2022
Estuprador é procurado pela Polícia Civil na região
Compartilhar
Ouvir publicação

O suspeito de estuprar duas mulheres na mesma noite em Itapoá, no Litoral Norte, já foi identificado pela polícia, está com mandado de prisão ativo e é considerado foragido da Justiça.

 

O caso aconteceu no final de abril e, antes de cometer o crime sexual, o homem teria ameaçado as vítimas com uma faca e as obrigado a entrar no carro dele. Elas teriam sido violentadas em um terreno baldio. De acordo com delegado regional Rafaello Ross, as mulheres têm 30 anos e estavam próximas à pista de skate, no bairro Itapema do Norte, quando foram abordadas e rendidas pelo homem. 

Tudo aconteceu por volta de meia-noite de sexta-feira (22) para sábado (23) do mês passado e, segundo Ross, o homem se aproveitou da condição menos movimentada da cidade para cometer o crime. — Depois que elas entraram no veículo, ele saiu das proximidades e as levou para um local ermo, onde ele teria consumado a violência sexual contra as duas. Depois, ele fugiu do local e, desde então, está sendo procurado pela polícia — explica Ross.  

 

As vítimas foram deixadas no terreno baldio e, assim que o suspeito foi embora, a Polícia Militar foi acionada por elas. Ross explica que, neste caso, por conta da gravidade, foi dada uma “condição de prioridade” à situação.  Portanto, já na semana seguinte, depois que as jovens passaram por exame de corpo de delito que constatou os estupros, o suspeito foi identificado, e o poder Judiciário emitiu mandados de prisão, busca e apreensão.  

A polícia chegou ao nome do jovem com a ajuda de imagens de câmeras de segurança, que flagraram a movimentação do carro do suspeito nas proximidades de onde ocorreu o crime, e com base na ficha criminal do rapaz, que tem passagens por roubo e tráfico de drogas, além de já ter cumprido pena no sistema prisional do Paraná.

Apesar de não ser morador da cidade, ele tem família em Itapoá e ia com frequência na casa dos parentes. Ross diz que, com base no relato das vítimas, elas não o conheciam e souberam apenas dar características físicas dele, além de citarem a roupa que estava vestindo. A polícia afirma que o crime aconteceu de forma ocasional, e o homem abordou as vítimas aleatoriamente. Já cumprimos mandado de busca na casa dele, em Itapoá. Quando os policiais foram lá, encontraram familiares do homem, que nada têm relação com o crime por ele praticado. Foram coletados alguns materiais lá para a investigação, mas ele não foi encontrado — descreve o delegado.  

Fonte: NSC

 

Block