Sexta, 30/07/2021
Joinville

Espetáculo da Escola Bolshoi tem participação da Casa da Cultura

junho 25, 2021
Espetáculo da Escola Bolshoi tem participação da Casa da Cultura
Compartilhar
Ouvir publicação

No domingo (27/6), às 19h, a Escola do Teatro Bolshoi no Brasil apresenta, em seu canal do YouTube, o espetáculo inédito “Quando as cortinas se abrem”. A apresentação será composta por dança clássica, contemporânea e estreias, que marcam o retorno do Bolshoi ao palco do Teatro Juarez Machado e a parceria da instituição com a Casa da Cultura, unidade da Secretaria de Cultura e Turismo de Joinville (Secult).

 

Participe do grupo de Whatsapp Aconteceu em Joinville – Clique Aqui 

“Esta parceria é de grande impacto para a comunidade cultural, unindo em um mesmo ato criativo duas escolas de arte muito representativas da cidade de Joinville. É potencializar a cultura, a arte, a valorização dos talentos da região”, destaca o secretário da Secult, Guilherme Gassenferth.

Um dos destaques do espetáculo é a interpretação da “Morte do Cisne”, onde dança e música se encontram. A pianista da Escola Bolshoi, Giane Marize Gomes, acompanhada do violoncelista Thibault Delor, interpretam este clássico.

Thibault Delor, coordenador da Escola de Música Villa-Lobos da Casa da Cultura, é um músico francês radicado no Brasil desde 1997. Ele tem íntima relação com o balé, por ter trabalhado quatro anos na Ópera de Paris e no Teatro do Palais Garnier, na capital francesa.

Participe das PROMOÇÕES do AJ no You Tube – Clique aqui e se inscreva

“É a minha primeira vez tocando no palco do Juarez Machado e senti uma emoção especial. Trinta anos atrás eu estava na Ópera de Paris tocando Ludwig Minkus acompanhando o Balé da Ópera de Paris. Ano passado, vim assistir o espetáculo de aniversário de 20 anos do Bolshoi, ouvindo novamente Ludwig Minkus, sendo que agora estou no palco fazendo parte do espetáculo”, enfatiza Delor.

Os músicos se apresentam enquanto a bailarina Maitê Nunes simula o último voo de um cisne, antes de sua morte. A peça, de apenas dois minutos, criada em 1907, com música de Saint Saens, tem como passo básico o pas de bourrée, simples sob o ponto de vista da técnica de pontas, mas cada movimento exige capacidade de expressão, com dramaticidade e emoção de voo, que torna esta performance muito difícil e de uma beleza única.


Siga-nos no nosso Instagram para receber notícias da região direto no seu celular. Para participar, basta CLICAR AQUI

Foto: Cléber Gomes

Block