Sabado, 24/07/2021
Joinville

Dono de recreação em Itapema é indiciado por estupro de vulnerável

junho 4, 2021
Dono de recreação em Itapema é indiciado por estupro de vulnerável
Compartilhar
Ouvir publicação

Nessa sexta-feira (4) a Polícia Civil de Itapema enviou ao Poder Judiciário o Inquérito Policial que apura denúncias envolvendo abusos de crianças em uma recreação do município. O Delegado responsável pelo caso, Aden Claus Ceber Pereira, indiciou o investigado, um homem de 25 anos proprietário da recreação pelo delito de estupro de vulnerável previsto no artigo 217- A do Código Penal.

 

Participe do grupo de Whatsapp Aconteceu em Joinville – Clique Aqui

Durante essa semana, o Delegado interrogou o investigado sobre os fatos pelos quais é suspeito. O local onde funcionava a recreação, no bairro Meia Praia continua interditado.

A partir de agora, o Ministério Público de Itapema analisará as investigações e decidirá se denuncia o investigado, que permanece preso aguardando a decisão da justiça. Caso a denúncia seja recebida, o indiciado se tornará réu em um processo criminal.

Até o momento, foram registradas 22 denúncias de abuso sexual contra o suspeito. Todos os responsáveis pelas crianças já foram ouvidos.

Participe das PROMOÇÕES do AJ no You Tube – Clique aqui e se inscreva

Relato da mãe de dois alunos

“Tudo que a gente quer é que esse cara seja preso, que ele pague, que ele vá cumprir a pena dele”. Esse é o desejo da mãe de duas crianças que estudavam em uma recreação de Itapema, onde trabalha um homem suspeito praticar abuso contra as crianças do local.

Ela relata que na última sexta-feira, após uma brincadeira despretensiosa com a filha de 4 anos, descobriu que a criança havia sido vítima de abusos. “Na sexta-feira, às quatro horas da tarde eu fui brincar com ela. Eu dei um beijo no pescoço dela e fui brincar de cabeça pra baixo.

Ela disse que estava sentido a mesma sensação que sentia com o ‘tio’”, afirmou a mãe ao repórter Arliss Amaro. A mãe contou ainda que já vinha observando comportamentos diferentes do filho mais velho, de 7 anos, que acordava tendo pesadelo e por esse motivo começou a fazer tratamento psicológico. scc10


Siga-nos no nosso Instagram para receber notícias da região direto no seu celular. Para participar, basta CLICAR AQUI

Não é permitido replicar o conteúdo desse site.