quarta-feira,

22/05/2024

Joinville/SC

Search
Close this search box.

Joinville registra acumulado de 164 milímetros em 24 horas

 

A Defesa Civil de Joinville mantém o estado de atenção em decorrência da chuva volumosa que atinge o município desde o início de segunda-feira (22/1).

Em 24h foram 164 milímetros de chuva, sendo que a média para o mês todo de janeiro é de 230 milímetros.

Até o momento, a Defesa Civil atendeu 14 ocorrências. As mais graves foram dois deslizamentos.

Um deles no Vila Nova, onde dois galpões foram interditados após um muro que estava em construção cair e atingir dois trabalhadores.

Os homens foram socorridos pelos Bombeiros Voluntários e pelo Samu e encaminhados para o Hospital São José.

Um dos homens teve uma fratura no pé direito e passou por um procedimento cirúrgico.

O outro teve fraturas no quadril e tíbia e também passou por cirurgia. O estado de saúde dos dois é considerado estável e eles permanecem internados.

O outro deslizamento foi na Rua Colombo, no bairro Petrópolis. No local, o muro de uma residência cedeu, colocando a estrutura da casa em risco.

Três pessoas que moram no local foram para a casa de parentes. Não houve registro de outras pessoas desabrigadas ou desalojadas.

As outras ocorrências atendidas foram relacionadas a queda de muro, entrega de lona, alagamentos e queda de árvore.

Até às 9h30 desta terça-feira (23), também não havia sido registrado pontos de alagamento.

A previsão indica que a chuva volumosa deve ser persistente até o fim da quarta-feira (24/1). Por esse motivo, o principal alerta da Defesa Civil é pelo risco de deslizamento.

“Quem mora perto de morros e encostas deve ficar atento aos sinais que indicam deslizamento. Se perceberem árvores ou poste inclinados, rachaduras em parede, muro e piso ou ainda água barrenta descendo pela encosta, a orientação é deixar o imóvel e acionar a Defesa Civil pelo 199. Nós vamos com um técnico ao local para avaliar o risco”, informa Maiko Richter, gerente da Defesa Civil de Joinville.

Outro fator que pode contribuir para pontos de alagamento é a combinação de chuva volumosa com o pico de maré alta. Para esta terça-feira (23), os picos devem ser de 0,90; 0,80 e 1,4 metro e ocorrer por volta das 9h10, 10h50 e 14h, respectivamente.

Em virtude do acumulado de chuva já registrado, o nível dos rios, principalmente em bairros como Floresta, Itaum, Anita Garibaldi e Bucarein estão altos, o que dificulta o escoamento da água.

A população deve evitar passar em áreas alagadas. Além disso, ter cuidado com a correnteza próximo de rios e pontilhões.

“Além do risco de contrair doenças em contato com áreas alagadas, o risco é de ser arrastado pela correnteza, ou acabar caindo, em uma boca de lobo. A água da chuva tende a ser forte em alguns locais, principalmente perto de rios, o que pode arrastar a tampa de uma boca de lobo, por exemplo”, detalha Maiko.

Na Rua Dorothovio do Nascimento, no Distrito Industrial, o trânsito está em meia pista. A principal suspeita é que um problema em uma caixa de drenagem tenha causado danos na rua.

A área está sinalizada e assim que as condições climáticas permitirem, a Secretaria de Infraestrutura Urbana vai trabalhar no local para restabelecer a mobilidade.

O Plano de Contingência permanece em Alerta Laranja. Isso significa que há ocorrências sendo registradas no município e que além da Defesa Civil e demais forças de segurança e salvamento, outras secretarias da Prefeitura de Joinville estão em prontidão para o atendimento de ocorrências.

Situações de emergência podem ser comunicadas para a Defesa Civil, pelo número 199, e aos Bombeiros Voluntários, no 193.

Você não pode copiar o conteúdo desta página
Pular para o conteúdo