Segunda, 16/05/2022
Joinville - SC

Clínica-geral do Sistema Hapvida alerta para os efeitos do álcool no organismo

fevereiro 15, 2022
Clínica-geral do Sistema Hapvida alerta para os efeitos do álcool no organismo
Compartilhar
Ouvir publicação

A ingestão de bebida alcoólica costuma se acentuar nesta época e até quem não tem o hábito regularmente pode acabar tomando um gole. Tem a cerveja geladinha para aplacar o calor na beira da praia ou da piscina, o espumante para brindar durante a formatura. E por aí vai…

Clique aqui e participe do grupo

de Whatsapp Aconteceu em Joinville

Vanessa Rodrigues Pereira Almeida, clínica-geral do Sistema Hapvida

Entre 12 e 24 horas após a ingestão de bebida alcoólica, você provavelmente acordou com dor de cabeça, tontura, náusea, sede, palidez e tremores. Estes são alguns dos sintomas mais frequentes. Essas sensações desagradáveis são efeitos da intoxicação.

Reduza os danos

Dá para prevenir? A dica para evitar a ressaca é: não beba! Mas, para diminuir os sintomas, existem alguns truques:
• Beba menos, espaçadamente e devagar;
• Não consuma bebidas alcoólicas de estômago vazio. Aposte em uma alimentação leve: opte por alimentos de fácil digestão, que fazem com que o corpo elimine o álcool com maior rapidez;
• Tome água e/ou água de coco: se o álcool irá “roubar” água do seu organismo, não deixe que a reserva seja prejudicada. Hidrate-se durante a ingestão de bebidas alcoólicas.

A má notícia mesmo é que, além da ressaca física, o resultado da ação tóxica do acetaldeído é a desidratação… Para quem gosta de beber, sugiro que faça uma vez na semana, tentar fazer o consumo mínimo possível, pois não há nenhum beneficio para o corpo humano. Nosso corpo é o resultado do que ingerimos.

Motivos para reduzir o consumo

O álcool é um inimigo da alimentação saudável por atrapalhar a absorção de vitaminas do complexo B e por aumentar a gordura corporal, pelo fato de ser muito calórico. Para cada grama de etanol metabolizado, são formadas 7,1kcal/g, uma fonte energética considerável, comparando-se aos carboidratos (4kcal/g), proteínas (4kcal/g) e lipídios (9kcal/g). Além disso, o álcool interfere na absorção de tiamina no intestino. Essa vitamina é essencial para tecidos e órgãos em todo o corpo.

O álcool também causa aumento de peso, por se tratar de uma bebida bastante calórica: cada grama contém cerca de 7 calorias. Isso ocorre porque o álcool se transforma em ácido graxo e fica acumulado como gordura no corpo. Outro efeito da substância no organismo é a desidratação. Como ela é diurética, quanto maior a ingestão de bebida alcoólica, maior a eliminação, na urina, de eletrólitos importantes para a manutenção da saúde, como sódio e potássio.

Mais de 70% do corpo humano é composto por água e sua presença é de extrema importância para o bom funcionamento do organismo. A ingestão de álcool afeta a reserva de água do corpo porque para metabolizar uma molécula de álcool etílico – processo semelhante ao da digestão – são necessárias nove moléculas de água. Quando não há água suficiente, ela começa a ser retirada de tecidos periféricos. Perder água afeta a pele, diminuindo o viço e colaborando para o ressecamento e a descamação.

O álcool etílico é uma das razões pelas quais muitas pessoas ficam com a pele avermelhada depois de beberem, visto que a substância é vasodilatadora. Quando vasos sanguíneos se expandem, a rosácea e a oleosidade da pele se acentuam. Além disso, a substância estimula a produção de radicais livres, que entram em contato com células sadias do corpo e danificam sua estrutura, causando envelhecimento precoce e flacidez. Estudos afirmam que certas quantidades de determinadas bebidas podem ser favoráveis à saúde do corpo. Contudo, as doses variam de acordo com o sexo, idade e outras condições do organismo.

O consumo antes da prática de atividades físicas torna a pessoa sujeita à hipoglicemia, pois o nível do açúcar no sangue cai. Unir as duas atividades pode comprometer o coração, pois o exercício consome massa muscular. Os riscos para a saúde de se misturar álcool e atividade física são grandes e podem causar desde desidratação até problemas ao coração.

O prazo ideal de distância entre o consumo de bebidas alcoólicas e a prática esportiva é de 72 horas antes de beber e 24 horas depois, segundo Isa Bragança, especialista em medicina do esporte. Os atletas profissionais devem cumprir esse limite para aproveitar ao máximo a performance, uma vez que o álcool no organismo interfere em força, potência, equilíbrio e velocidade de reação.

Se for para misturar os dois, que seja depois do exercício, nunca antes. E que se consuma muita água antes, durante e depois do esforço físico, para diminuir a quantidade de etanol no organismo. O sedentarismo aumenta os riscos dessa combinação. Uma pessoa que pratica atividades físicas regularmente tem um coração mais preparado para enfrentar essa união. Para o sedentário, acrescenta-se o risco de ele ter colesterol alto, sobrepeso e pressão alta. São fatores que aumentam as chances de ter taquicardia e arritmia.

Durante a prática de atividade física com álcool no organismo, caso a pessoa não tenha ingerido uma quantidade adequada de carboidratos, pode haver hipoglicemia, que é a diminuição do nível de glicose na corrente sanguínea. Além disso, o baixo nível de glicose faz com que a atividade física consuma massa muscular em vez de formá-la. O organismo tem três fontes de energia: glicose, carboidratos e lipídios. O exercício físico consome glicose, que foi deteriorada pelo álcool. O corpo passa a usar carboidratos, lipídios e a proteína do músculo, que é a massa muscular.

Até mesmo componentes químicos do meio ambiente ou alguns tipos de trabalho podem interferir na fertilidade. O álcool em excesso está associado à diminuição da testosterona e do volume do sêmen, pode ainda levar a lesão dos nervos do organismo causando até impotência. Nas mulheres, pode ocorrer a irregularidade menstrual.

O tratamento para a dependência

Se estamos diante de um caso de alcoolismo, o primeiro passo, e mais importante, é o que o indivíduo reconheça o seu vício e adote atitudes que possam ajudá-la a diminuir o consumo de bebidas. Uma das atitudes que pode ser adotada é ir a encontros de Alcoólicos Anônimos, por exemplo, pois permitem que a pessoa entenda o seu vício e o porquê de beber em excesso, além de fornecer tratamento e acompanhamento para a pessoa.

Em algumas situações, pode ser recomendada a internação em clínicas de reabilitação com o objetivo de tratar o vício por meio da suspensão do consumo de bebidas alcoólicas, acompanhamento psicológico e uso de medicamentos que controlam os sintomas de abstinência e que ajudam no processo de desintoxicação. Nunca é tarde para adotar hábitos mais saudáveis e preservar a sua saúde.

Block