Segunda, 27/06/2022
Joinville - SC

Casos de dengue explodem no Brasil

junho 6, 2022
Casos de dengue explodem no Brasil
Compartilhar
Ouvir publicação

Segundo boletim recém-divulgado pelo Ministério da Saúde, o Brasil registrou este ano 382 mortes por dengue até o dia 21 de maio. Ao longo de todo o ano de 2021, foram registrados 246 óbitos.

Inscreva-se em nosso canal no YouTube!

Estes dados apontam para um aumento significativo nas mortes causadas pela doença este ano. Com relação aos casos de dengue, segundo boletim do mesmo Ministério, divulgado no início de maio, o País registrou aumento de 113,7% nos casos da doença (542.038 casos prováveis) de 2 de janeiro até 23 de abril, em relação ao mesmo período do ano anterior. As regiões mais afetadas pela incidência de dengue são a Centro-Oeste, seguida pelas regiões Sul, Sudeste, Norte e Nordeste.

“Os dados indicam um surto da doença adentrando o outono. Em geral, o verão é a época mais propícia para uma luz vermelha acender em relação aos casos de dengue, zika e chikungunya. Altas temperaturas e chuvas favorecem o aumento da população do vetor com um duplo resultado: em contato com a água das chuvas, os ovos colocados há semanas ou meses podem eclodir e dar origem a milhares de novos mosquitos transmissores (Aedes aegypti). Ao mesmo tempo, com as chuvas, aumenta a oferta de criadouros para as fêmeas do Aedes colocarem seus ovos”, explica a Dra. Márcia Lima Dantas, Infectologista consultora do Minuto Saudável.

Segundo a médica, o diagnóstico correto se dá por meio de exame clínico seguido de exames laboratoriais. “Especificamente sobre dengue, a infecção ocorre em três fases. A fase febril, que ocorre com o aumento da quantidade viral, é associada a sintomas inespecíficos. Essa fase se resolve em três dias. Na fase crítica, ocorre o aumento da permeabilidade dos vasos do organismo, o que pode desencadear complicações. É nessa fase, quando a febre não aparece mais, que podem ocorrer sinais de que a infecção está evoluindo para um quadro grave, portanto é indispensável realizar acompanhamento médico. E na fase de recuperação, há aumento na quantidade urinária e a resolução dos sintomas característicos do estágio crítico”, descreve a Dra. Márcia.

Sintomas e tratamento da dengue

Os sintomas são febre alta (39ºC a 40ºC), de início repentino, associada a dor de cabeça, prostração, dores musculares, nas juntas e atrás dos olhos, vermelhidão no corpo (exantema) e coceira. “Perda de apetite, náuseas, vômitos e diarreia não volumosa podem estar presentes, mas são menos frequentes”, explica a especialista.

“O atendimento médico deve ser iniciado assim que aparecerem os primeiros sinais, pois com o devido acompanhamento profissional é possível identificar sinais de agravamento da doença. E é importante ressaltar que nos casos de dengue não é recomendado o uso do ácido acetil salicílico (AAS), devido ao risco de hemorragia. Os medicamentos precisam ser prescritos pelo médico. É preciso fazer repouso absoluto e beber bastante água”, afirma a especialista.

Medidas de combate 

Com a escalada do surto de dengue em todo o País, as medidas de contenção da proliferação do mosquito da dengue são muito importantes e devem ser adotadas por todos. Deve-se observar lugares que podem acumular água parada, como em caixas d’água mal tampadas, carros e pneus abandonados e até mesmo em lixos e folhas nas ruas e calçadas. Nesse sentido, é preciso manter bem tampadas caixas, tonéis e barris de água, e colocar o lixo em sacos plásticos, com a lixeira sempre bem fechada, sem qualquer acúmulo de água.

Além disso, garrafas de vidro ou plástico devem estar com a boca para baixo; os pratinhos ou vasos de planta devem ter areia até a borda; as calhas precisam ser limpas com frequência; pneus velhos devem ser guardados em locais cobertos e protegidos da chuva. Vizinhos, amigos e parentes devem ser aliados no combate aos criadouros do mosquito Aedes aegypti.

Secretaria da Saúde confirma décimo primeiro óbito por dengue em Joinville

Nesta segunda-feira (6/6), a Secretaria da Saúde confirmou mais um óbito em decorrência da dengue em Joinville. Desde o início deste ano, onze pessoas perderam a vida em função de complicações ocasionadas pela dengue.

A confirmação foi feita após investigação epidemiológica de óbito ocorrido no dia 16 de maio. Trata-se de um homem, de 66 anos, com histórico de comorbidades, morador do bairro Jardim Paraíso, que faleceu em um hospital da rede pública.

Campanha de alerta

Durante o final de semana, a Prefeitura de Joinville deu início a uma campanha de alerta contra a dengue, que está sendo transmitida nos principais veículos de comunicação da cidade. A mensagem destaca o lamentável recorde de casos e óbitos, reforça as ações realizadas pelo poder público e apela o apoio da comunidade para a redução dos focos da doença.

Evolução dos casos

Desde o início deste ano, Joinville confirmou 7 mil casos de dengue, além de ter identificado 8,9 mil focos do mosquito Aedes aegypti. Os bairros com mais casos confirmados são Costa e Silva, Iririú, Comasa, Jardim Iririú e Aventureiro.

No site joinville.sc.gov.br/dengue é possível acompanhar os dados atualizados da doença em Joinville, incluindo o detalhamento dos casos confirmados por idade e localização. Também é possível visualizar a localização dos focos do mosquito mapeados pela equipe da Vigilância Ambiental.

Block