domingo,

23/06/2024

Joinville/SC

Search
Close this search box.

Associação Brasil AVC Fortalece Compromisso Após Congresso Ibero-americano para Defesa de Políticas Públicas

Associação Brasil AVC deixa congresso iberoamericano ainda mais determinada a aumentar coalizão para reivindicar políticas públicas

Representantes da Associação Brasil AVC (ABAVC), sediada em Joinville, participaram do XXV Congresso Iberoamericano de AVC – Global Stroke Alliance 2023, em Punta Del Leste, no Uruguai.

O evento promove troca de experiências entre diferentes países latinos americanos sobre o Acidente Vascular Cerebral (AVC), e a ABVC organizou um evento que proporcionou um encontro, dia 24 de novembro, entre associações de pacientes da América Latina.

“Coordenamos a reunião em que estiveram presentes as Associações ACEVE – Chile e PUVLACV – Argentina. A Associação do Uruguai – APECV não pode participar presencialmente, mas se mostrou interessada em mantermos um trabalho em conjunto”, relata a neurologista Carla Moro, da ABAVC. “Saímos da reunião muito animados e motivados para crescer a nossa coalizão, que hoje é brasileira, mas lutaremos para fortalecer e transformar em uma coalizão da América Latina”, complementou.

Uma das ações tem sido convocar outras associações do gênero a assinar o “Documento de Posicionamento sobre o AVC:

A Crise Silenciosa e Oculta que Aflige Nossa Sociedade”, que foi elaborado pela Academia VBHC e coordenado pela Associação Brasil AVC, com em consonância com algumas associações de apoio ao paciente.

O objetivo da carta aberta é chamar atenção para o impacto do AVC para o paciente e a sociedade, e reivindicar políticas públicas que possam garantir o acesso a um tratamento de qualidade em todo o país, e não apenas em algumas regiões, como ocorre hoje.

“Joinville é uma referência, mas nem todo o país vive a mesma realidade”, enfatiza.

O documento traz evidências científicas e dados econômicos, demonstrados de maneira didática, para esclarecer o real impacto do AVC em termos de sofrimento humano, prejuízo financeiro e insustentabilidade das atuais políticas de prevenção, tratamento e reabilitação pós-AVC no Brasil, sugerindo medidas por parte do poder público e seus gestores.

Para se ter uma ideia do impacto do AVC, estima-se que uma a cada quatro pessoas terão um AVC, que já é a principal causa de morte no Brasil, e também a principal causa de incapacidade, afetando a vida não só dos pacientes, mas de toda a família.

Além disso, os números mostram que a incidência do AVC tem aumentado também entre pessoas mais jovens, e a causa, na maioria das vezes, está atrelada ao estilo de vida, o que reforça outro pilar de trabalho da ABAVC que é a educação e a prevenção.

Todos os anos, a entidade realiza a Campanha de Combate ao AVC, com a realização de fórum, corrida e caminhada, além de uma ação sobre estímulo à alimentação saudável em 10 restaurantes da cidade.

Na foto: Dra Carla Moro (ABAVC – Brasil), Monica Acevedo (ACEVE – Chile) e Dra Maria Martha Esnaola (PUVLACV – Argentina)

Você não pode copiar o conteúdo desta página
Pular para o conteúdo