Quinta, 30/06/2022
Joinville - SC

Alerta geral: A dengue voltou com força

maio 19, 2022
Alerta geral:  A dengue voltou com força
Compartilhar
Ouvir publicação

A dengue voltou com tudo, especialmente em Joinville .Os casos de coronavírus foram substituídos por essa doença que já matou três pessoas na cidade. São mais de 5 mil casos, em que o bairro Costa e Silva lidera o número de casos com 1.247, o que representa 24,9% do total. Iririú e Comasa vem em seguida com mais de 500 casos da doença em cada um.

 

A falta de limpeza em caixas de água, vasos e principalmente em locais onde a água fica acumulada, é o principal causador da proliferação do inseto. A transmissão acontece pela picada da fêmea do mosquito Aedes Aegypti, que pode ingerir o vírus ao picar uma pessoa infectada. Depois do período de incubação, esse vírus pode ser transmitido para outras pessoas que forem picadas pelo mesmo inseto. E os relatos de pessoas que estão sendo vítimas da picada crescem a cada dia.

Com o aumento na quantidade de pessoas diagnosticadas com dengue, a Secretaria Municipal de Saúde orienta a população sobre os principais sintomas da doença e quais os sinais que o estado de saúde do paciente está piorando. Os sintomas mais comuns de dengue são febre, dor no corpo, dor nas articulações ou nas juntas, dor na cabeça ou no fundo dos olhos, e em alguns casos, vermelhão no corpo e coceira.

O médico infectologista da Rede Municipal de Saúde, Marcelo Mulazani, orienta sobre como agir ao perceber que pode ter sido infectado com a dengue. “Principalmente não se automedicar, porque algumas medicações podem interferir na doença e fazer com que ela piore. Então, sempre que tiver sintomas, o paciente deve procurar auxílio médico que vai indicar qual o melhor tratamento. Antes da consulta e depois, fazer hidratação porque a dengue faz com que o paciente perca bastante líquido”. Entre os medicamentos não indicados estão anti-inflamatórios como Aspirina, Ácido Acetilsalicílico, Nimesulida, Ibuprofeno, Cetoprofeno e Diclofenaco.

“Como eles são anti-inflamatórios, têm um mecanismo que acaba fazendo uma atuação dentro do vaso sanguíneo e isso pode facilitar que o líquido que está dentro da veia extravase, aumentando a chance de fazer sangramentos”, explica o médico. Alguns sinais indicam uma piora no quadro de saúde e a necessidade de voltar ao médico. Por isso, os pacientes devem ficar atentos a sintomas como náuseas ou vômitos, dor abdominal, presença de tontura ou desmaio, algum tipo de sangramento, mesmo pequeno, no nariz ou na gengiva, além da diminuição do fluxo urinário e falta de ar.

Em crianças, a irritabilidade e sonolência também devem ser observados. “Um sintoma muito importante é a falta de ar. Dengue na fase inicial não tem sintoma respiratório. Quando o paciente tem falta de ar, significa uma evolução da doença. Outra coisa que é comum na forma mais grave é a tontura e até mesmo o desmaio.

O sinal de alerta é quando você está sentado, levanta e fica tonto”, esclarece o médico. Segundo o infectologista, a diferenciação entre gripe ou resfriado e dengue, na fase inicial, é justamente a ausência dos sintomas respiratórios. “Dengue não faz coriza, dengue não faz dor de garganta.

Então se está com dor no corpo e febre e não tem sintoma respiratório, há possibilidade de dengue. Nas formas mais tardias, quando já tem um diagnóstico de dengue e começou o sintoma respiratório, pode ser uma piora de caso e merece avaliação médica”, reforça o doutor Marcelo.

O que é dengue?

É uma doença infecciosa febril aguda, que pode se apresentar de forma benigna ou grave, dependendo de alguns fatores, entre eles: o vírus envolvido, infecção anterior pelo vírus da dengue e fatores individuais como doenças crônicas (diabetes, asma brônquica, anemia falciforme). A dengue é uma doença infecciosa febril aguda causada por um vírus pertence à família Flaviviridae, do gênero Flavivírus. O vírus da dengue apresenta quatro sorotipos, em geral, denominados DENV-1, DENV-2, DENV-3 e DENV-4.

Sintomas da dengue comum ou clássica

Mal-estar;
Febre alta (maior que 38,5º C);
Dor nos olhos;
Dores musculares intensas;
Dor ao movimentar os olhos;
Dor de cabeça;
Falta de apetite;
Manchas vermelhas no corpo

Segundo o infectologista, a diferenciação entre gripe ou resfriado e dengue, na fase inicial, é justamente a ausência dos sintomas respiratórios. “Dengue não faz coriza, dengue não faz dor de garganta.

Então se está com dor no corpo e febre e não tem sintoma respiratório, há possibilidade de dengue. Nas formas mais tardias, quando já tem um diagnóstico de dengue e começou o sintoma respiratório, pode ser uma piora de caso e merece avaliação médica, reforça o doutor Marcelo.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Block