Domingo, 14/08/2022
Joinville - SC

PSICOLOGIA DO ESPORTE: atuação nas academias de musculação… by Carlos Alberto Hang

janeiro 23, 2022
PSICOLOGIA DO ESPORTE: atuação nas academias de musculação… by Carlos Alberto Hang
Compartilhar
Ouvir publicação

As ACADEMIAS DE GINÁSTICA E MUSCULAÇÃO de ponta estão inserindo em seu quadro de funcionários preparados PSICOLOGOS DO ESPORTE, pois entenderam que, além de proporcionar mais uma importante opção para seus frequentadores de apoio profissional, diminui a desistência da prática dos mesmos a curto e longo prazo, como muito ocorre, valendo assim, grandes investimentos sobre tal profissional.

Entende-se o ser humano como um ser complexo, onde é preciso integrar a dualidade corpo e mente para se obter resultados sadios de fato, e para tal é preciso compreender o psiquismo humano e o que impulsiona seus atos, especialmente em caráter individual.
Existem vários motivos conscientes que são nomeados para que alguém frequente uma academia, mas é preciso conhecer o que impulsiona estes motivos, buscar ferramenta de manutenção deste impulsionamento quando ele for de resultados positivos de fato para o praticamente, bem como acompanhar casos de extremismo e desencadeadores de doenças de caráter psicológico, o que é, infelizmente, muito comum nestes ambientes.
Existe a busca por uma vida mais saudável, a questão de preservação da saúde, o caráter preventivo, a busca de socialização, saída da solidão, compensação de sentimento de inferioridade, busca de compensação de baixa autoestima, culto ao corpo, busca de padrão estético midiático, aperfeiçoamento de atletas de alto rendimento e de halterofilismo, entre outros motivos que faz com que alguém busque frequentar uma academia.
É a academia de musculação também espaço onde encontramos transtornos psicológicos em alguns frequentadores, como o chamado de DISMORFIA MUSCULAR e ANOREXIA NERVOSA REVERSA.
Temos também a VIGOREXIA, que é uma séria doença da mente humana, em que predomina na vida do paciente uma preocupação constante com as questões do aprimoramento da forma física, sentindo que nunca é suficiente a musculatura que conquista, mesmo que se orgulhe dela em alguns momentos, mas passa a chegar a não mais sentir que está forte como deveria, algumas vezes sentindo vergonha do próprio corpo, aumentando assim o ritmo de treinos, e afastando-se proporcionalmente do convívio familiar e social, e afins, tornando-se verdadeiro REFÉM da academia e dos treinos.
Alguns entram em pânico em pensar que a academia estará fechada, ou não poderão treinar devido a algo que o impeça. Muitos deles apresentam constante irritabilidade, inconstância sentimental, tornando-se uma espécie de bipolaridade emocional.
Esta doença não é nada fácil de ser tratada, e muito menos aceita enquanto tal, pois geralmente ela estaria, a olhos do senso comum, apenas como uma preocupação natural de obter saúde, mas na verdade vive camuflando a doença e o sofrimento seu com esta falsa premissa de melborar a saúde e ficar mais forte.
Já utilizei, além da psicoterapia, ferramentas da PNL e da HIPNOSE nestes tipos de tratamento.
Deveras comum encontrarmos nestes ambientes que sofre também de DISMORFIA, diante da qual perdem o senso de realidade, vendo-se a pessoa como magra demais, obesa demais, fraca demais, e afins, descaracterizando a realidade, num sentimento de eterno insatisfeito, aparentemente com a forma do corpo, sendo chamada também de SÍNDROME DA FEIURA IMAGINÁRIA, tendo uma percepção distorcida da imagem do seu corpo.
Temos aqueles que acabam se resumindo ao próprio corpo, enquanto força física ou musculatura, falando apenas sobre isso, vivendo apenas para isso, exibindo somente fotos em que apresenta as conquistas, num modo de tentar compensar sentimentos de falta de algo em sua vida, muitas das vezes.
O problema é detectar a linha tênue que separa o culto saudável do corpo e a busca de uma vida saudável, com a doença psicológica, principalmente pelas pessoas que geralmente estão envolvidas no esporte, sendo mais fácil ser detectado por quem está mais distante, familiares, mas principalmente psicólogos.
As academias possuem profissional da educação física presente para auxiliar os frequentadores, mas devemos compreender que estes tem foco, academicamente, formativo nas disciplinas biológicas e técnicas de aprimoramento corporal, mesmo tendo superficial formação nas de caráter psicológicas, filosóficas, comportamentais e sociocomportamentais, mas não possuem conhecimento suficiente, e nem tempo, para dar conta deste outro lado, importantíssimo e acionante do físico, cabendo não somente a um profissional formado em psicologia, mas também especializado na área de psicologia do esporte, tal função.
O psicólogo do esporte irá atuar, não enquanto tratamento clínico na academia, mas enquanto observador, analista, intervencionista e orientador, tanto dos profissionais de educação física, quanto dos frequentadores da academia, utilizando principalmente bases científicas da psicologia do desenvolvimento humano e social, avaliação psicológica, psicologia clínica, TCC (terapia cognitivo comportamental), PNL, psicologia positiva, e demais abordagens que possam ser ferramentas eficazes em seu trabalho neste contexto.
OBSESSÃO pelo corpo perfeito e por frequentar uma academia, tornando-se tão perigoso quanto qualquer outro vício, gerando riscos a boa saúde física, e também psíquica dos frequentadores, temos visto ocorrer em muitos dos pacientes que nos procuram ao perceberem o descontrole em que se encontram, ou quando nem imaginam ser este o foco dos problemas que estão enfrentando em seus lares devido a tal prática, agora viciante.
Pacientes geralmente nos procuram ao perceberem que estão com problemas sérios de relações com a família e casamento, problemas de caráter financeiro por gastos obsessivos em medicações, anabolizantes, vitamínicos, e também, em muitos casos, diante de problemas de ordem sexual decorrentes.
Grande parte de quem busca uma academia é movida pela insatisfação do corpo atual, para muito além da busca de maior saúde. O que se precisa analisar são os motivos desta insatisfação pela forma do corpo, onde deseja chegar, e quanto ao objetivo para além de um corpo mais malhado e forte que incentiva tais práticas esportivas.
Muitos criam uma insatisfação sobre o corpo, mas esta se encontra num contexto fantasioso, distorcido da realidade e motivado feito um cano de escape num sistema escapista doutras questões.
Alguns ficam tão obcecados que, mesmo não sendo o intento, passam a competir profissionalmente em práticas esportivas afins, não como opção consciente de fato, mas por degraus que sente necessidade de alcançar por autoaceitação, por exemplo.
O que muito se percebe nas academias é a constante rotatividade dos frequentadores, e o acompanhamento do psicólogo do esporte, que também trabalha de maneira individualizada, irá proporcionar formação de metas específicas para cada indivíduo, e o acompanhamento dos resultados servirá de fator impulsionante para que atinja os objetivos determinados, e finalizando estes, novos sejam desenhados, num sistema de trabalho com PNL, hipnoterapia e coaching.
O recebimento e análise de “feedbacks” dos atletas e frequentadores irá criar vínculos maiores com a academia, reforçando metas a serem alcançadas, reconhecimento pelo esforço feito, e que irá servir de fator impulsionante para seguir adiante.
Outro contexto que o psicólogo do esporte analisa, é o fator ambiental, de nível estético, técnico, social e de integração que a academia promove, onde poderá propor mudanças que acarretarão em sensações positivas de mudanças e de movimento para à frente, além de identificação com o estilo de frequentadores daquele lugar.
A presença de um profissional da saúde formado em psicologia e especializado em psicologia do esporte, no seio laboral de uma academia, não somente tem foco nas questões de doenças psíquicas, mas de elo entre frequentadores que fomentará a continuidade saudável nas atividades físicas (evitando desistências e desânimo), segurança que promove a presença de tal profissional, aprimoramento profissional enquanto apoio dos demais profissionais que labutam neste ambiente, além de deixar claro o comprometimento e seriedade da academia diante da saúde integral de seus frequentadores, servindo isso como propaganda para a própria empresa.
(conteúdo trabalhado em minha palestra ESPORTE & PSICOLOGIA: um casamento perfeito e necessário)
Quem é o autor deste artigo: Carlos Alberto Hang, Psicólogo, Doutor e Mestre, Jornalista (SC03991); especialista/pós-graduado em psicologia do esporte, hipnose clínica, sexologia, dependência química, MBA em Liderança e Coaching, psicopedagogia, psicanálise, terapia cognitivo comportamental, educação infantil, e Ciências da Religião, com graduação também em Teologia, Filosofia, História, Letras e formação em hipnose transformacional; International Master Premium em Hipnose; Master PNL Practitioner (NLPEA Association of Excellence/USA); e escritor. Embaixador pela Cercle Universel des Ambassadeurs de la Paix (Genebra/Suíça), é Cônsul de Joinville – Instituto Internacional Poetas del Mundo, detentor do Oscar Brasileiro by Grupo Jornalístico Ronaldo Côrtes de São Paulo, e membro honorário imortal da Academia de Ciências, Letras e Artes de MG na cadeira 148.  INSTAGRAM: @carlosalbertohang  TWITTER: @hangjornalista  FACEBOOK: @opiniaodeumlivrepensadorbyHANG

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Block