Últimas notícias
Home » Maria Cristina Dias » 3º Sarau# nas Escolas começa na próxima terça-feira
    
Foto Luciano Moraes. - Divulgação Aconteceu em Joinville

3º Sarau# nas Escolas começa na próxima terça-feira

A 3ª edição do Sarau# nas Escolas começa na próxima terça-feira, 16 de outubro, com a proposta de levar música instrumental brasileira de qualidade, gratuitamente, a crianças entre 7 e 10 anos de idade, em colégios do Ensino Fundamental de Joinville.




Os estudantes poderão conhecer e aprender a apreciar o Chorinho com uma apresentação divertida e criativa realizada pelo Sarau# Trio, grupo que tem como foco o incentivo às iniciativas musicais autênticas nas reinterpretações da música brasileira, e com a presença da contadora de histórias Angela Finardi e do boneco Joaquim – uma novidade deste ano.

O projeto é viabilizado pela Lei Rouanet de Incentivo à Cultura, do Ministério da Cultura, e as apresentações de 16 a 30 de outubro contam com o patrocínio da Fremax. A realização é da Sarau# Produções, em parceria com a Agência Cultural AqueleTrio.

O Sarau# nas Escolas é realizado desde 2014 pelo Sarau# Trio, composto pelos músicos Marisa Toledo (piano), Cláudio Moraes (sax/flauta) e Rafael Vieira (percussão), de Joinville, e já alcançou mais de 6 mil estudantes, a maior parte de escolas da rede pública, proporcionando momentos inesquecíveis de arte e informalidade, e contribuindo para que as novas gerações conheçam a nossa boa música.

A apresentação instrumental ao vivo do chorinho brasileiro, com piano, sax/flauta e percussão, é realizada em meio a uma performance cênica, com figurinos novos e exclusivos de Caren Negrelli e material visual complementar atualizado. Esta edição conta com algumas novidades: roteiro, direção cênica e atuação de Angela Finardi, e a estreia de Joaquim, um boneco de espuma criado por Muriel Szym, que interage com a criançada. Também haverá contação de histórias brasileiras, o que proporcionará a criação de uma interação maior entre a música, o teatro e a literatura.

No repertório estão músicas de Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Hamilton de Hollanda, entre outros compositores. Com isso, os alunos poderão conhecer um pouco mais do Choro, um estilo que surgiu no Brasil no século 19 e se caracteriza pela execução extremamente elaborada. O Choro é considerado Patrimônio Cultural Imaterial pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). São parceiros nesta edição, a Univille, Mídia Quatro Filmes e C.E.M. – Centro de Estudo Musicais.

Os músicos e participantes:

Cláudio Moraes – flauta transversa e saxofones

Saxofonista diplomado pela Escola de Jazz de Montreux (Suíça 1993-2000). Participou de turnê pelo Estado de Santa Catarina com o artista Juca Chaves (2003). Integrou a Tem Tutano – Banda de Rua (2005 e 2006), integrou o grupo Pé de Crioula, a convite da cantora Ana Paula da Silva num projeto didático musical de samba e choro em Joinville/SC (2007). Fundador e instrumentista do AQUELETRIO – Música Instrumental de 2005 a 2012, com destaque para os shows no Teatro da Reitoria da UFPR (Curitiba/PR), no Yucatán.Co de São Bento do Sul/SC (Café.com Espresso Musical – 2ª edição) e a abertura do Joinville Jazz Festival – 5ª edição, em Joinville/SC (2007).

Formou e integrou o grupo de choro Chá de Cevada (2007). Fez a abertura do Joinville Jazz Festival – 6ª edição, com o grupo de jazz instrumental Em Cima da Hora. Em 2012 participou da gravação do DVD Seu Brasilino, de Dentinho Arueira e compôs a trilha sonora do curta “Uma Escada Para João”. Foi diretor artístico da Joinville Jazz Big Band e participou dos Projetos Acústico no Museu, que apresentou os Saraus Brasileiros no Museu Nacional de Imigração e Colonização de Joinville de 2012 a 2014, e Sarau nas Escolas (ambos pelo SIMDEC).
Atualmente é professor concursado na Escola de Música Villa- Lobos (Joinville/SC), integrante do Quarteto Araçá – Música Instrumental Brasileira e bacharelando no curso superior de saxofone da UNIVALI.

Marisa Toledo – piano

É pianista diplomada com aperfeiçoamento pelo Conservatório de Música Profa Vany Knoll em 1992, graduada em Pedagogia (1999 – ACE, Joinville/SC), com especialização em Música Popular Brasileira pela FAP/PR (2005-2006). Representante brasileira no Encontro Internacional de Músicos em Langenhagen, em 1989. Pianista com larga experiência no ensino do piano, teoria musical, musicalização infantil, acompanhamento de corais e cantores de câmara (desde 1990). Foi ainda pianista da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil (2000-2003), diretora e professora do Art & Som – Centro Livre de Artes Integradas (2004) e coordenadora da Escola de Música Villa-Lobos da Casa da Cultura entre 2009 e 2011. Pianista e vocalista do AQUELETRIO – Música Instrumental (2005 a 2007). Produziu o Songbook Crioula – Ana Paula da Silva (2012). Integrou o Conjunto de flautas Doces Compassolivre de 1998 a 2013 como pianista.

Participou dos Projetos Acústico no Museu, que apresentou os Saraus Brasileiros no Museu Nacional de Imigração e Colonização de Joinville de 2012 a 2014, e Sarau nas Escolas (ambos pelo SIMDEC). Em 2014 também produziu o CD Soprando Baixo e o curso de Musibraille, també, com incentivo com incentivo do SIMDEC.

Atualmente é professora de piano popular na Escola de Música Villa-Lobos da Casa da Cultura Fausto Rocha Jr. de Joinville e pianista do Coral Luterano Apóstolos- Martin Luther.

Rafael Vieira – percussão

Estudou bateria com André Steuernagel, Adriano Cidral, Mauro Uhlig, Mario Jr., Rodrigo Paiva, Mauro Borghezan e Endrigo Bettega e participou de ofcinas e master classes na área de bateria e produção musical com grandes nomes do cenário musical brasileiro.
Participou de gravações do CD do americano Rex Johnson (quando tinha apenas 15 anos), e ainda dos CDs dos grupos 
Os DepiraCircus MusicalisBanda Dona ChicaDudu GodoiDVD Grupo de Percussão de Itajaí entre outros. Foi produtor de bateria no disco “Posso Ser o Autor?” (Fevereiro da Silva – 2011), assistente de gravação no disco “Música Universal” (Reino Fungi – 2011), gravou a trilha do curta Uma Escada para João (2012), foi assistente de mixagem e edição no disco Dona Chica (2012) e tem realizado trabalhos de gravação como baterista em estúdios de Joinville, Curitiba, Itajaí e Florianópolis. Participou ainda da Orquestra da Sociesc, projeto Espaço da Criança, Força Jovem, Green Belly, Sultana e foi músico de apoio do bluseiro Celso Blues Boy.


Desde 2013 integra os Sarau# Trio. É professor de Bateria na escola de música Villa-Lobos desde 2009. Concluiu o curso de bateria pelo Conservatório de Música Popular de Itajaí em 2012 e atualmente cursa Bacharelado em Bateria na UNIVALI.

Angela Finardi ‐ roteiro, direção e atuação

É contadora de histórias, atriz, diretora teatral e preparadora corporal e vocal de performers. Possui Mestrado em Teatro pela Universidade do Estado de Santa Catarina (2014). Coordena o Programa Institucional de Artes Cênicas da Universidade da Região de Joinville ‐ UNIVILLE e o Projeto Palhaçoterapia na mesma instituição. É atriz e produtora da Metamorfose Cia Cênica. Contabiliza na sua experiência artística ao longo de 25 anos, mais de cinquenta espetáculos, nos quais atuou, produziu e/ou dirigiu.

Destacam‐se em sua carreira o espetáculo Infantil “Piuí – Um trenzinho Imaginário” e “O Segredo do Curumim”, cuja direção e atuação foram premiadas no Festival Catarinense de Teatro de 1996 e 1997 respectivamente. Obteve premiação de melhor atriz em “S.O.S – Uma Mulher Só”, ao lado de Sabrina Lermen, no FENATA, em 2008.


Participou como contadora de histórias das Mostras Didáticas da Escola do Teatro Bolshoi no Brasil, em várias apresentações pelo Brasil (2003, 2004, 2005). Seus mais recentes trabalhos artísticos são: atuação no espetáculo “Apareceu a Margarida”: um musical brincante, texto e direção de Augusto Pessôa, Leitura dramática da peça “Os Sujos”, de Gregory Haertel, com direção de Pepe Sedrez, ambos pela pela Metamorfose Cia Cênica (2018), participação como contadora de histórias no “Música, Pedal e Histórias”, de Prika Lourenço (2017), atuação no espetáculo “O Gran Circo Popular Alegria”, texto de Augusto Pessôa com direção de Rubens Lima Júnior (2014‐2017), direção de “O Doente Imaginário”, de Molière, com a Cia de Teatro da Univille (2016, 2017); direção conjunta com Silvestre Ferreira de “O Enigma de Cid”, texto de Guto Greca, com a Cia de Teatro da Univille (2015); direção de Bartolomeu em “Tempo de Voo”, com textos de Bartolomeu Campos Queirós, junto à Cia de Teatro da Univille (2014‐2015), direção de Clotilde com “Brisa, Ventania e Cerração” ‐ espetáculo infantil com o Coletivo (Arte)de Cá (2015 ); e atuação no espetáculo “À Luz de Velas”, do Grupo Compassolivre, com direção de Claudia Maiole (2013, 2014 e 2015). É autora do livro A importância do Centro de Energia de Base na preparação vocal do performer, publicado pela NEA – Novas edições Acadêmicas. (2015). 




Facebook Comments

About Redação

Redação
É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do editor da revista. O portal de notícias Aconteceu em Joinville tem o compromisso de levar a informação a população joinvilense através de noticias da nossa região com agilidade e fidelidade aos fatos.
error: Todos os direitos reservados - Aconteceu em Joinville