Últimas notícias
Home » Joinville » Câmara de Joinville vai abrir CPI do rio Mathias
As obras tiveram início em Junho de 2014 / AJ

Câmara de Joinville vai abrir CPI do rio Mathias

Vereadores eleitos assinaram requerimento para pedir a abertura de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar o atraso das obras de macrodrenagem do rio Mathias.  A obra tinha prazo de conclusão de 24 meses, porém já faz mais de 6 anos que o contrato foi assinado.

De acordo com o novo presidente da Câmara, Maurício Peixer (PL), os 19 vereadores já assinaram o requerimento de formação da CPI. Responsáveis pela empresa que venceu a licitação serão convocados para dar explicações sobre a execução da obra.

Interdição da Via Gastronômica deixa empresários no prejuízo

Devido ao prejuízo causado pelas obras do rio Mathias, empresários com estabelecimentos na rua Visconde de Taunay, a Via Gastronômica, se reuniram para reclamar da demora nas obras de macrodrenagem do rio Mathias. Inviabilizando a circulação de joinvilenses e de turistas que poderiam frequentar a via, a obra tem deixado os empresários no prejuízo.

Ainda no ano passado, a comissão de cidadania aprovou a convocação do secretário de Administração e Planejamento, Miguel Bortolini, para prestar esclarecimentos sobre a obra.

Representantes da empresa que fez o projeto e da empresa que está executando a obra estavam presentes e discordaram sobre a exequibilidade da obra. De acordo com Edu José Franco, sócio da empresa Parallela, que fez o projeto das obras de macrodrenagem, elas custariam em torno de R$ 66 milhões, mas a empresa contratada para executar a obra venceu a licitação por um preço muito abaixo (R$ 49 milhões), o que, segundo ele, tornaria a obra inexequível.
“Como observador externo acredito que a empresa contratada não tem condições de fazer pelo preço do contrato, pois é insuficiente, se torna inexequível”, disse.
Já Márcio Luiz Martins, sócio da empreiteira Motta Júnior, contratada para a execução das obras, afirmou que o preço é 29,9% do orçado, estando, portanto, dentro da lei, segundo ele. “O preço é exequível, é um preço bom, mas consciente”, afirmou.
Facebook Comments

About Redação

Redação
É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do editor da revista. O portal de notícias Aconteceu em Joinville tem o compromisso de levar a informação a população joinvilense através de noticias da nossa região com agilidade e fidelidade aos fatos.
error: Todos os direitos reservados - Aconteceu em Joinville