Home » Sáude » Vacinas contra Covid-19 devem chegar à rede privada só no final de 2021
Plano de vacinação brasileiro não prevê uso de imunizantes que exijam baixíssimas temperaturas de armazenamento

Vacinas contra Covid-19 devem chegar à rede privada só no final de 2021

Com os resultados positivos dos estudos clínicos das principais vacinas contra a Covid-19 sendo divulgados, fica cada vez mais claro que teremos uma imunização contra o coronavírus em breve. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o desafio agora é a distribuição.

Participe do grupo de Whatsapp Aconteceu em Joinville – Clique Aqui

s
a

O governo federal já fechou contrato com a AstraZeneca, responsável pela vacina de Oxford, e o governo de São Paulo, com a Coronavac — a ideia é suprir o Sistema Único de Saúde (SUS) para que a população tenha acesso à vacina de forma gratuita. Porém, será possível agilizar o processo — já que o SUS deve aplicar a vacina primeiro em grupos de risco — e comprar a imunização na rede privada?

Apesar de muita gente estar disposta a abrir a carteira e pagar pela vacina, é pouco provável que a imunização chegue na rede privada antes de ser oferecida no SUS. “Não vejo acontecendo antes do final de 2021. Provavelmente, as vacinas que forem liberadas vão suprir, inicialmente, os serviços públicos de vários países. A chegada na rede privada depende de quantas imunizações vão ser aprovadas pelos órgãos regulatórios”, explica Juarez Cunha, presidente da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm).

Nada impede a rede privada de vender as vacinas: uma vez que forem aprovados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), os medicamentos podem ser comercializados em território nacional. O problema é ter acesso às doses. No Brasil, a fabricação das vacinas já negociadas será feita por laboratórios públicos, Fiocruz/Bio-Manguinhos e Butantan.

As vacinas mais avançadas, como a de Oxford, a Coronavac e a da Pfizer, já têm contratos fechados com os governos de vários países e com iniciativas internacionais, como a da Organização Mundial de Saúde (OMS), que pretende garantir a vacina para os países mais pobres. Por isso, boa parte da produção das fábricas internacionais já está comprometida.

Facebook Comments

About Redação

Redação
É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do editor da revista. O portal de notícias Aconteceu em Joinville tem o compromisso de levar a informação a população joinvilense através de noticias da nossa região com agilidade e fidelidade aos fatos.
error: Todos os direitos reservados - Aconteceu em Joinville