Últimas notícias
Home » Segurança » Polícia Civil esclarece casos de “Boa Noite Cinderela” e prende duas mulheres
VOGEL PAINÉIS
O delegado de polícia, Cassiano Tiburski, responsável pelo caso, acredita que existam outras vítimas que ainda não registraram as ocorrência

Polícia Civil esclarece casos de “Boa Noite Cinderela” e prende duas mulheres

Compartilhe

Desde fevereiro deste ano, a Polícia Civil de Itaiópolis passou a registrar casos do golpe popularmente conhecido como “Boa Noite Cinderela”. Trata-se de um tipo de roubo consistente em enganar a vítima fazendo-a ingerir alguma bebida em que foi previamente adicionada uma droga sedativa.

Participe do Facebook  Aconteceu em Joinville – Clique Aqui

Siga-nos também no Instagram!  Aconteceu em Joinville – Clique Aqui!



A substância causa, inicialmente, tontura e desorientação, e, em poucos minutos, inconsciência. Foram registrados pelo menos oito casos do crime no período. Todas as vítimas eram homens idosos que haviam efetuado saques em agências bancárias da cidade. Após dopar e levar as vítimas para locais pouco movimentados, como o interior da igreja matriz, ou bares vazios, a autora subtraía o dinheiro. Em muitos casos, após o roubo, a criminosa abandonava as vítimas em lugares desertos, onde ficavam inconscientes por várias horas.

As investigações iniciaram logo após os primeiros registros, no entanto, houve grande dificuldade para se chegar a uma pessoa suspeita, vez que as vítimas não se recordavam plenamente do que havia acontecido por causa do efeito da droga. Na tentativa de se obter provas da autoria, a Polícia Civil realizou diversas diligências, inclusive análise de dezenas de câmeras e várias horas de imagens de vídeo monitoramento de estabelecimentos comerciais.

Em uma delas, foi possível se verificar parte da ação da suspeita, uma mulher. Desse vídeo, os policiais conseguiram extrair as características da criminosa, ou seja, mulher de 45 a 55 anos de idade, cabelo curto, baixa, pouco obesa. Em continuidade, com auxílio da população, chegou-se ao nome da suspeita que foi conferido por meio de perfil de rede social.

Do perfil, foram coletadas fotos as quais foram apresentadas para as vítimas que confirmaram com certeza se tratar da autora. Por fim, e para afastar qualquer dúvida, a polícia identificou uma vítima, que não havia registrado a ocorrência, a qual disse que conhecia a autora pelo apelido que foi confirmado nos registros policiais. Os investigadores ainda identificaram uma possível participante de um dos crimes.

Assim, a Delegacia de Itaiópolis solicitou ao Poder Judiciário a decretação de prisão preventiva das duas mulheres suspeitas, cuja ordem foi decretada nesta segunda-feira, sendo os mandados cumpridos na terça e quarta.

As suspeitas de 51 e 65 anos foram interrogadas e conduzidas ao presídio regional de Mafra onde permanecerão por prazo indeterminado até nova decisão judicial.

O delegado de polícia, Cassiano Tiburski, responsável pelo caso, acredita que existam outras vítimas que ainda não registraram as ocorrências, considerando a informação de que a autora se dirigia próximo às agências bancárias quase todos os dias para fazer novas vítimas.

Nesse sentido, Cassiano solicita para quem eventualmente tenha sido vítima comparecer à Delegacia de Polícia Civil de Itaiópolis para efetuar o registro dos fatos.

 

About Redação

Redação
É proibida a reprodução total ou parcial de textos, fotos e ilustrações, por qualquer meio, sem prévia autorização do editor da revista. O portal de notícias Aconteceu em Joinville tem o compromisso de levar a informação a população joinvilense através de noticias da nossa região com agilidade e fidelidade aos fatos.
error: Todos os direitos reservados - Aconteceu em Joinville