Últimas notícias
Home » Carlos Alberto Hang » Opinião: Carlos Alberto Hang: Minha Mensagem de Natal para você
VOGEL PAINÉIS

Opinião: Carlos Alberto Hang: Minha Mensagem de Natal para você

Compartilhe

Mais um Natal e uma virada de ano estão chegando…

Se permanecermos na superfície e não mergulharmos nas profundezas do espírito

a nossa visão ficará estigmatizada no mundo fenomênico

e o Natal não passará mais do que um evento comercial e pagão

e a virada de ano nada além do que mais um ciclo completo da Terra ao redor do sol.

Natal = natalidade, nascimento, renascimento…

Ano novo = novo ciclo, nova oportunidade, renovação…

Advento = preparação ao novo, ao que está para chegar.




s mais edificantes a fazer, tudo pelo nosso ego.

Pensar na família em si, onde seus membros envelhecem e se vão embora destas paisagens, o que não percebemos até nos vermos sós diante de uma multidão.

Lembrar das promessas que fizemos a nós e aos demais, principalmente as que não cumprimos…

Pensar no que estamos fazendo com o nosso corpo, envoltório de nossa alma, o qual está voltando ao pó a cada dia que se passa e não se demora com a juventude reluzente e ilusoriamente eterna enquanto corpo.

Procuremos reaver amizades perdidas e nos policiarmos diante de amizades desviantes.

Nesta época devemos meditar a respeito do que nos cerca…

das pessoas com quem escolhemos para conviver..

da profissão que abraçamos…

da cidade onde moramos…

É hora em que percebemos que nosso carro do ano na garagem não nos completa no todo

que toda nossa fama e nosso sucesso profissional e financeiro

de longe sinalizam uma verdadeira e plena satisfação,

e que todo preconceito, toda diferença racial, filosófica, religiosa, sexual e de outros valores humanos, demasiado humanos, caem por terra ao se depararem com a verdadeira essência do nosso existir.

É hora de tomarmos a direção em sentido do que desejamos de fato…

Tudo nos é permitido mas nem tudo nos convém, nos alerta o Apóstolo.

Assim como ele nos diz que “nada é imundo por si só e que é o próprio homem que assim vê as coisas como tais, conforme as impurezas que carrega em sua mente…”

Nossas escolhas devem estar baseadas no que edifica a nós mesmos…

e consequentemente, à Humanidade em Si como um todo em que estamos inseridos…

 

A decisão é individualíssima e nos critérios de cada qual…

podemos passar mais um Natal com luzes, árvores, Papai Noel, presentes e comes e bebes refinados

passarmos a virada do ano no mais deslumbroso lugar do Planeta, numa mansão, no luxo, com milhares de fogos de artifício, bebedeiras com champanhas das mais nobres, gargalhadas e danças

comemorando o vácuo existencial deprimente e que nos escraviza diante da busca do preenchimento com coisas vãs

ou poderemos ir ao encontro da renovação de nosso ser com a mudança de nossas atitudes diárias e termos, aí sim, motivos para comemorarmos este Natal.

Que não nos preocupemos em estarmos trajados com vestimentas brancas ou pelas cores das roupas para atrair boas coisas, mas que nossa alma seja alva e nossa mente feita um arco-íris multicolor a alegrar a todos que nos cercam.

Assim como não depositemos nos sete pulinhos que fazemos nas ondas na virada do ano como mecanismo de sucesso e proteção e a certeza de mudanças para melhor, mas que depositemos no Deus que criou às ondas e as cores e tudo o que existe, a nossa vida e de nossa família e peguemos a “enxada” e trabalhemos pelos nossos ideais.

Se continuarmos sendo os mesmos após o Natal…

então o Menino Jesus não nasceu em nós de fato.

Se continuarmos com as mesmas atitudes no ano que se chega…

então o novo ano não chegou verdadeiramente.

As luzes que decoram este Natal e o colorido e a musicalidade que o envolvem

nada significam se não tivermos dentro de nós essas mesmas luzes, músicas e cores.

O Natal se faz na individualidade da criatura antes de ser inserido na coletividade.

E nenhuma caridade, em moda nesta época,

justifica ou substitui o nosso dever diante do sentido de renovação.

Neste natal, que a manjedoura de nosso coração seja quente, aconchegante e segura

isso se dará através da meditação, preparo, cuidados consigo e com os demais…

assim como pelo abandono do velho e cansado “eu ego”, fazendo com isso um mecanismo de oblação à vida.

Lembremos sempre do real sentido da Cruz Crística neste Natal

a qual é formada pelo mastro vertical e horizontal

e entendamos assim que o vertical é muito maior que o horizontal para que tenha equilíbrio do todo

e que o horizontal simboliza o mundo fenomênico

enquanto o vertical, o que é eterno e verdadeiro, pois aponta para o Alto.

Sendo assim temos que dar sempre mais atenção às coisas da verticalidade, de Deus, do Eterno, do Espírito.

Cuidar sim da horizontalidade, dos bens materiais, do conforto, mas no limite do que nos é necessário apenas.

Aprendendo a estarmos sempre felizes em toda e qualquer situação.

Sendo assim, teremos uma vida plena de equilíbrio e verdadeira realização.

Desejo a todos vocês, a você que está lendo estas minhas linhas e a mim mesmo

que neste Natal o “Menino Luz” nasça

e que o novo ano seja realmente novo, repleto de uma renovação plenamente baseada no que eleva a criatura.

Comemoremos a vida agradecendo dentro de nós mesmos a tudo e a todos constantemente

Sempre no sentimento deste ser o último dia e o único minuto vivencial de nossa vida.

E cientes de que não sabemos onde estaremos daqui a instantes, ou se aqui estaremos no próximo ano ou no Natal seguinte.

Assim como não sei se estarei em vida carnal para terminar este escrito ou se vocês terão a oportunidade de receber esta reflexão e, se sim, se irão lê-la até o fim também vivos neste plano terreno e, aqui está, a mágica da vida.

Na certeza de que a Morte não existe e de que a Vida é eterna e se renova eternamente…

e que o mundo das probabilidades e oportunidades é o ar que nos deixa vivos e nos dá sentido de viver.

De que a cada dia que passa a luz poderá e será mais forte a iluminar nossas mentes e nossos caminhos.

Na certeza de que os nossos erros de hoje e de ontem são perdoados pelo Alto,

perdoemos nós aos equívocos dos nossos próximos, mas também perdoando a nós a nós mesmos sem prometermos que não voltaremos a praticar nossos tropeços, mas sim que iremos nos esforçarmos a não mais cometermos os enganos, pois somos humanos e sendo assim, falhos.

Que assim como o sol aparece renovando cada dia, assim seja com nossa consciência. 

Quero ainda aproveitar para pedir perdão a todos os que eu prejudiquei em minha vida, seja em palavras, ações, omissões ou por pensamentos, e que eles recebam multiplicado em bênçãos do Alto pelo que sofreram e perderam por minha culpa. E que eu tenha perdão verdadeiro a todos que me desejaram mal e que me prejudicaram, não guardando eu ressentimentos, e que Deus toque o coração deles e caia o arrependimento e a mudança venha a ocorrer em suas vidas.

 

Desejo que cada um de nós não deseje um “Feliz Natal e Próspero Ano Novo” sem afetividade nas palavras

mas plenos de reais desejos, baseados no perdão, na confiança e, mais que tudo isso…

e muito mais importante que isso…

se comprometendo a fazer com que o outro realmente tenha um Feliz Natal e um Ano Novo melhor e próspero,não medindo esforços para que tal ocorra, não agindo como um profano nestas celebrações maiores da Cristandade, mas como verdadeiros iniciados que somos nós pelo batismo através da Luz do Cristo Jesus.

Feliz Natal e Feliz Ano Novo e demais anos de vida terrena e eterna a todos vocês meus irmãos em Cristo Jesus e finalizo agradecendo ao Deus Pai Criador, ao Filho Redentor e ao Espírito Santo de Amor, pela oportunidade de poder estar aqui em mais estas comemorações, não sabendo sobre o dia de amanhã, pois como está escrito, do Espírito não se sabe de onde vem e nem para onde vai, e que assim são os que são nascidos do Espírito. 

   “RENOVAI O MUNDO RENOVANDO A SUA MENTE”   

“TENHAM TODOS UM VERDADEIRO NATAL & UM RENOVADO ANO NOVO”

Carlos Alberto Hang

(artigo escrito em dezembro de 2005 e faz parte do livro do mesmo autor intitulado “Elaborando a Bíblia para Vivenciá-la”, que ainda será lançado)

(Texto de autoria de Carlos Alberto Hang, psicólogo (CRP 11.931) e jornalista (03991), pós-graduado em psicopedagogia, especialista em Educação Infantil & Séries Iniciais; formado também em filosofia, história, letras, teologia, inglês, italiano, espanhol, trabalha com jornalismo desde 1994, ministrante de cursos e palestras, é Embaixador da Embaixada Universal da Paz – Genebra – Suíça – Cercle Universel des Ambassadeurs de la Paix, é Cônsul de Joinville – Instituto Internacional Poetas del Mundo, detentor do Oscar Brasileiro by Grupo Jornalístico Ronaldo Côrtes de São Paulo) e membro honorário imortal da Academia de Ciências, Letras e Artes de Minas Gerais na cadeira 148. Só permitida a veiculação ou uso do texto acima mediante a nomeação do jornalista e autor do mesmo.

 

About Carlos Alberto Hang

Carlos Alberto Hang
Carlos Alberto Hang, psicólogo (CRP 11.931/SC) e jornalista (03991/SC), pós-graduado em psicopedagogia, especialista em Educação Infantil & Séries Iniciais; formado também em filosofia, história, letras, teologia, inglês, italiano, espanhol, trabalha com jornalismo desde 1994, ministrante de cursos e palestras, é Embaixador da Embaixada Universal da Paz - Genebra - Suíça - Cercle Universel des Ambassadeurs de la Paix, é Cônsul de Joinville - Instituto Internacional Poetas del Mundo, detentor do Oscar Brasileiro by Grupo Jornalístico Ronaldo Côrtes de São Paulo) e membro honorário imortal da Academia de Ciências, Letras e Artes de Minas Gerais na cadeira 148. Só permitida a veiculação ou uso do texto acima mediante a nomeação do jornalista e autor do mesmo.
error: Todos os direitos reservados - Aconteceu em Joinville