Últimas notícias
Home » Carlos Alberto Hang » Opinião: Carlos Alberto Hang: Uma Linguagem Profunda na Superfície do Corpo
VOGEL PAINÉIS

Opinião: Carlos Alberto Hang: Uma Linguagem Profunda na Superfície do Corpo

Compartilhe

O corpo manifesta, de maneira fiel, a personalidade do indivíduo. A alma humana coloca-se basicamente através do corpo em sua postura, seus gestos, movimentos e couraças musculares.




o de afetos e emoções, usa a si próprio para revelar a realidade mais íntima, numa linguagem clara e vibrante.

Beleza interior, beleza exterior. O ser-humano deve compreender que o exterior é um reflexo do interior e vice-versa.

Deve ter ampliado seu conceito de beleza e, através do autoconhecimento, tornar perfeito o que era defeito. Conhecendo as razões do corpo para que seja daquela forma deve amá-lo buscando transformá-lo em desejo puro. Ainda que não consiga vê-lo como belo, deve buscar conhecê-lo. Ninguém ama o que desconhece.

 

 

Os cirurgiões plásticos e esteticistas que me perdoem, mas a melhor cirurgia e os melhores medicamento embelezadores que se tem no mercado da vida é o autoconhecimento. É através dele que uma pessoa que esteja fora dos padrões estéticos impostos pela sociedade, nos passa uma beleza a ser dificilmente suplantada pela maioria das possuidoras das mais belas formas delineadas de corpo.

 

Quem fala essencialmente do indivíduo, são seus olhos. A menina dos olhos de cada qual diz como ele está e é verdadeiramente.

Se existe luz nos olhos do indivíduo, seu corpo todo estará banhado em plena luz, pois essa luz vem do âmago d´alma e sabemos que luz é a única coisa que não se contamina, por isso fala claramente, sem disfarces, de sua fonte.

Não se iluda que tratamentos estéticos de última geração, cirurgias plásticas com os melhores profissionais, dinheiro e posses, fama e tudo que venha do externo possa ser a fonte em que irá manifestar a beleza real.

Só o amor por si mesmo e, posteriormente pelos demais trará para fora essa beleza, que está em essência em todos nós e envolta por nossas sombras algumas vezes, sombras estas adquiridas pelas nossas culpas e ignorâncias diante de nós mesmos.

Nada aparente e externo muda substancialmente o interno, e sim o interno tende a transformar o externo. Nosso corpo interpreta nossa alma em nossas couraças musculares. Fica tudo escrito mui claramente a respeito de nossa realidade e quem tem olhos de ver, enxerga facilmente.

 

Muitos me questionavam, desde a minha adolescência, de como eu sabia coisas sobre eles que eles ainda não haviam dito a ninguém e que eram manifestas em verdade para mim. Chegavam a questionar se era bruxaria e coisas afins. Mas é tudo questão de observação atenta aos detalhes mais óbvios, os quais vemos mais facilmente nos outros do que em nós mesmos devido aos mecanismos de defesa que nos protegem daquilo que possa vir a nos fazer sofrer.

 

Nós dizemos quem somos o tempo todo a todos que querem e podem ver, apenas a nós e aos que tem interesse nisso, que enganamos. Está tudo aí, manifestado em nossa epiderme, claro que com nuances a considerar, para que não caiamos no mundo dos achismos inconsequentes.

 

 

Existes leituras obvias, como um olhar para baixo que pode sinalizar um sentimento de tristeza, mas o que digo vai além destes segmentos, pois pelo exercício percebemos além disso tudo, mas sempre tendo em mente que o que pode aparentar, nem sempre o é, para que não caiamos em armadilhas do senso comum, nem façamos transferências ou ainda colocarmos sentimentos no outro que não lhes pertence.

 

 

Mas não me peçam para falar a respeito de vós outros, pois o espelho está a disposição de cada um de nós e se não nos vemos como de fato somos é porque não queremos ver e não estamos dispostos a ver ou preparados e interessados nisso ainda.

E pode ser que, se eu conseguisse sinalizar o verdadeiro tu a ti mesmo, tu me condenarias, me odiarias e se afastarias de mim, pois poderia estar trazendo a tua vista o que tens negado, pois caso contrário não precisaria de ninguém para te mostrar, viria espontaneamente, assumindo a si mesmo, como ser humano maravilhoso que é.

A fórmula mágica (que de mágica não tem nada, apenas age em consequência) para sermos jovens num corpo que vem envelhecendo desde o dia em que saímos de dentro do ventre materno, é o autoconhecimento, é o aceitar a nós mesmos como somos, não fugirmos de nós, não vivermos nas aparências e no faz de conta, respeitarmos nossos corpos e nossas almas e nossos limites, vivermos dentro da Lei Universal, que nos dá a vida e é a própria Vida.

A medida que fazemos esse encontro mais que sutil conosco mesmos, nosso olhar diante do que é belo se renova, repousa nossa alma no ápice da vida, que é a manifestação Divina agindo em nós.

Veremos que nada existe de feio no Universo, veremos a manifestação da beleza em tudo e em todos, em todo tipo de corpo, em toda manifestação de amor, nos lixos, nos ratos, na podridão, nos porcos, nos obesos e nos magros, nos altos e nos baixos, e de nada perderão ao mais belo e mais caro diamante e perto das joias da Coroa da Rainha da Inglaterra. Permitamos que a nossa beleza interior se manifesta com toda a sua glória em nosso exterior. E que essa luz radiante ilumine a mais de um !!!

(Texto de autoria de Carlos Alberto Hang, psicólogo (CRP 11.931) e jornalista (03991), pós-graduado em psicopedagogia, especialista em Educação Infantil & Séries Iniciais; formado também em filosofia, história, letras, teologia, inglês, italiano, espanhol, trabalha com jornalismo desde 1994, ministrante de cursos e palestras, é Embaixador da Embaixada Universal da Paz – Genebra – Suíça – Cercle Universel des Ambassadeurs de la Paix, é Cônsul de Joinville – Instituto Internacional Poetas del Mundo, detentor do Oscar Brasileiro by Grupo Jornalístico Ronaldo Côrtes de São Paulo) e membro honorário imortal da Academia de Ciências, Letras e Artes de Minas Gerais na cadeira 148. Só permitida a veiculação ou uso do texto acima mediante a nomeação do jornalista e autor do mesmo.

Facebook Comments

About Carlos Alberto Hang

Carlos Alberto Hang
Carlos Alberto Hang, psicólogo (CRP 11.931/SC) e jornalista (03991/SC), pós-graduado em psicopedagogia, especialista em Educação Infantil & Séries Iniciais; formado também em filosofia, história, letras, teologia, inglês, italiano, espanhol, trabalha com jornalismo desde 1994, ministrante de cursos e palestras, é Embaixador da Embaixada Universal da Paz - Genebra - Suíça - Cercle Universel des Ambassadeurs de la Paix, é Cônsul de Joinville - Instituto Internacional Poetas del Mundo, detentor do Oscar Brasileiro by Grupo Jornalístico Ronaldo Côrtes de São Paulo) e membro honorário imortal da Academia de Ciências, Letras e Artes de Minas Gerais na cadeira 148. Só permitida a veiculação ou uso do texto acima mediante a nomeação do jornalista e autor do mesmo.
error: Todos os direitos reservados - Aconteceu em Joinville